segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Os tortuosos caminhos de Zanon no início de mais um ciclo olímpico para o basquete feminino

9540257716_541ec2120f_o

Anunciado como técnico da seleção feminina há menos de cinco meses, Zanon teve o início de comando mais ousado entre os seus quatro antecessores (Paulo Bassul, Carlos Colinas, Enio Vecchi e Luiz Tarallo).

Com uma seleção bem nova, saiu pelo mundo a disputar (e perder) amistosos. Resultados absolutamente normais.

Li essa atitude inicial de Zanon como a tradução de duas convicções do treinador:

1- Não havia mais como manter grande parte do grupo que dominou as convocações para as últimas competições internacionais. Esse grupo estava esgotado tecnica e fisicamente e só com novos nomes e muito trabalho a seleção poderia (um dia) voltar a ser competitiva.

2 – Estava tudo errado com os critérios técnicos no basquete dos clubes daqui, a começar pela sua própria (ex-)equipe, Americana. Como uma atleta (exemplo: Fabiana Caetano) serviria à seleção se acabara de ser dispensada pelo clube? Ou como Leila Zabani merecia ser testada na seleção se recebia tão poucos minutos dele no clube? Ou por fim como as jogadoras recém-contratadas pela sua equipe (Joice e Êga) não faziam parte dos planos da seleção?

Realmente foi um começo repleto de significados, os quais só não enxergou quem não quis.

A ameaça de que os planos de Zanon dessem errado já no início sempre rondou. No Sul-Americano com Argentina jogando em casa, motivada e experiente, os riscos eram altos. O treinador foi corajoso e seguiu adiante. Conquistou o título mesmo com o time  jogando muito mal. Mas – parênteses-  pergunto: há quanto tempo a seleção mesmo “completíssima” não joga bem?

No Torneio de São Carlos, pareceu haver alguma evolução em relação ao Sul-Americano, mas a impressão persiste semelhante: há muito trabalho a ser feito. Zanon parece disposto ao trabalho, mas ele sozinho não resolve uma série de deficiências do nosso basquete. E mesmo que trabalhe muito e bem, os resultados são incertos. Quais os limites naturais desse grupo?

Acho que o maior mérito do treinador nessa primeira fase foi reconstruir Damiris, que parecia andar congelada depois de comer o pão que o diabo amassou desde que foi MVP do Mundial Sub-19. A coitada foi treinada por Tarallo na seleção (que teve a brilhante idéia de a transformar em ala durante uma Olimpíada) e depois encarou na sequência em clubes Ferretto e Barbosa. As últimas que sobreviveram a tamanho desafio foram Paula e Hortência há quase 40 anos.

Para a disputa da Copa América, as mudanças eram previsíveis. Alguém duvidava dos retornos de Érika e Adriana? Já chamada no início do processo, Nádia também não é surpresa.

Em outra ação repleta de significados, Zanon barrou Franciele, que vivia seis anos de seleção com qualidade tristemente decrescente.

Inteligentemente o treinador não quis se promover com a eterna polêmica Iziane. Comandou a questão com discrição e deu seu recado sem expor a atleta.

Nos dois nomes finais da nova lista, há primeiro: Karla. Apostava que ele a chamaria. O treinador é responsável direto pela reorganização do basquete da lateral. Sabe bem da capacidade e também das limitações dela. Em alguns momentos na trajetória de Londres 2012, Karla esteve muito bem, mas acabou sacrificada com a saída de Iziane e tentou assumir um papel que seus joelhos (literalmente) não permitem mais. Voltou das Olimpíadas sem condição de jogo.

Por fim, me perdoem a indelicadeza, mas a convocação de Chuca embaralha tudo o que eu disse acima e contradiz os sinais iniciais do treinador. Em má fase técnica e em condições físicas piores que a de Karla, a presença da lateral de Ourinhos mais confunde do que explica e faz o treinador repetir a mesma dupla de alas das últimas duas (e tristes) Olimpíadas.

É assim que começamos o novo ciclo olímpico.

Preparados?

38 comentários:

Anônimo disse...

otimo texto....de fato não entendi a convocação da chuca...mil vezes a ramona pelo futuro que terá na seleção....a adrianinha e a karla merecem sim...a erika nem se fale...e por fim acho que a nádia fica entre as pivos...

Anônimo disse...

O Zanon jah tah me irritando com essa estória inexplicável de falar de renovação, e não convocar uma peça fundamental - Joice R.(como armadora e Ala/ jovem e a segunda melhor do Brasil). Não dar chances para treinar com a seleção aa Thais PInto e Priscila Santos,(21)e(25) respc...
E...convenhamos: COPA AMERICA? Porque, Erika, Chuca, Adrianinha, agora?
ISSO TUDO EH MEDO DO CANADA?
Vale apena jogar nosso "TRABALHO DE RENOVAÇÃO" NO LIXO e começar um NOVO e ESTRANHO CICLO para o MUNDIAL?
O basquete feminino é, realmente, muito AMADOR.

Anônimo disse...

Vou dizer de novo: pra chamar Chuca, que chamasse IziLOUCA.. esse foi o unico erro dele na convocação.

Anônimo disse...

Muito bom seu texto.
Realmente não consigo entender, no time de Americana, a Fabiana raramente entrava... e está aí na seleção.
Fernanda Bibiano... (Izabela, Jaqueline - já tiveram tantas chances e nada)... Joice Coelho... Taina... Não consigo entender.
Vamos ver!

Anônimo disse...

Que jogada foi essa tão comemorada nessa foto?

Ainnem Agon disse...

Bom texto, bons levantamentos. Pelo visto a seleçao vai ser mais uma vez exatamente isso aih: Adriana, Erika, Karla, talvez Chuca na reserva, Damiris e Clarissa, e as demais compondo o banco.

Pelo menos o banco vai ter um certo nivel de experiencia adquirida nesta atual seleçao de novas. Mas ficar sem a Joice maluca nao dah nao...

Ricardo disse...

Oi Bert, parabéns pelo ótimo texto.

Gostaria de fazer uma pergunta:

O que você acha do garrafão formado por Erika (pivô 5) e Clarissa (ala/pivô)?

É algo que foi pouquíssimo testado, por conta de lesões da Clarissa, ausência da Erika por conta da WNBA e também pelas opções táticas pífias do sr. Tarallo.

Na minha opinião seria um dos melhores garrafões do mundo.

Acredito que a Clarissa é (de longe) a atleta brasileira que mais evoluiu nos últimos três anos, por isso confio que ela conseguiria de adaptar bem na função de ala/pivô.

Qual a sua opinião?

Será que o Zanon teria essa ousadia?

Anônimo disse...

o melhor de tudo nisso tudo: O BERT VOLTOU A ESCREVER!!!!

Anônimo disse...


OBSERVADOR
Como sempre bons textos,de quem vivencia e acompanha este nosso sofrido(de alguns anos)basquete feminino.Realmente existem incoerências como a Fabiana Caetano,nunca jogava em Americana e dispensada pelo mesmo,e agora convocada.Leila outra que entrava minutos(poucos)e é convocada e cortada.A insistência com Izabela que já circula por seleções há alguns anos,a volta de Chuca com 34 anos,Erika e Adrianinha já bastavam e vamos ainda dar um desconto para Karla,jogadora de confiança.Agora não entendi e não concordo com os comentários em relação a Damires,comparar a competição que ela foi com o Tarallo-Olimpiadas e os Jogos como o Zanon é incoerência total,e colocar ainda o Ferreto,quantos meses ela treinou com ele e com o Barbosa,afinal era o Barbosa ou Betinho o técnico do Maranhão,é no mínimo dar muito crédito ao Zanon e descredenciar totalmente aos outros técnicos.Sem desmerecer a Damires,mas contra o Canadá quando teve pivots forte pela frente,já teve dificuldades e mesmo contra a Argentina na final só jogou quando entrou a Clarissa.

Fabiano Carvalho disse...

Concordo com Érika, Nádia, Adrianinha e Karla na seleção para Copa América.
Chuca tenho minhas dúvidas !
Iziane não convocada, merecidamente, já foi na seleção e não vingou por causa dela mesmo !
Franciele e Cacá cortadas ! Normal !

O trabalho do Zanon e sua comissão está sendo realizado seriamente e profissionalmente bem feito. Renovação sim, mas com sustentação também sim de algumas veteranas !

PAULINO disse...

Assino linha por linha... Bert, tu és o cara!

Sérgio/RJ disse...

REALMENTE, A CHUCA NÃO DÁ P/ ENTENDER. ELE (ZANON) ESTAVA INDO BEM COM AS NOVATAS. PORQUE VOLTAR ATRÁZ E CONVOCAR AS TRINTONAS?????????? QUANDO É QUE TEREMOS ESSA TAL DE RENOVAÇÃO???????????? TEM QUE BOTAR ESSAS NOVATAS PARA JOGAR, PARA APANHAR BASTANTE E APRENDER COMO SE JOGA UM BASQUETE DE QUALIDADE.

Bert disse...

Oi, Ricardo!

Eu acho que é possível sim a dupla Érika-Clarissa, mas acho que vai ser algo pra certos momentos do jogo... Acredito que a Damiris seja a opção inicial.
Realmente a Clarissa evolui muito nos últimos anos e modificou seu jeito de jogar.

Abraço!

Bert disse...

Obrigado, Paulino e todos os outros que gostaram do texto.

Tava meio enferrujado, mas saiu... rs.

Anônimo disse...

PARA QUE NÃO SABE OU FINGE NÃO QUERER SABER,RENOVAÇÃO É ISSO MESMO QUE O ZANON ESTÁ FAZENDO, MESCLA-SEJOGADORAS MAIS EXPERIENTES COM AS MAIS JOVENS, E COM O PASSAR DO TEMPOS, AS MAIS EXPERFIENTES VÃO SAINDO DEIXANDO QUE ESSAS MENINAS MAIS NOVAS ASSUMAM SUAS RESPONSABILIDADES NA SELEÇÃO.

Anônimo disse...

O Bert o que é você sabe sobre a condição física da Chuca, você por acaso já veio ver os treinos que a Lisdeive está fazendo aqui em Ourinhos, e você me desculpe devia ter algum respaldo para escrever o que o disse sobre a Chuca, mas vou dizer o que eu vejo....Entre jogadoras de media 22 anos a Chuca da um show nós treinos deixando elas no chão, como você mesmo disse, ela foi uma das jogadoras que jogaram com Barbosa e Ferreto, e se você sabe um pouco da historia do basquete femino você ia saber que estes são os treinadores que adoram um bom treino com muito esforço fisico, e a Chuca nunca se machucou jogando muito bem com estes treinadores e diferente do que você diz ela esta em excelente estado físico.
Só pra completar isso que você disse no blog é passivo de punição judicial, dizer o que não é verdade é crime. Ela não esta em má fase ou será que você esta dizendo isto porque ela decidiu ficar aqui em Ourinhos mesmo tendo proposta de vários outros times....fica a pergunta?????????

RAQUEL disse...


....é super normal, todo esporte quando se quer renovar se mescla novatas com experientes, achei correto Zanom convocar Chuca, Karla, Adrianinha ,quer queiram quer não Chuca e Karla ainda são as melhores alas do brasil e carregam seus times nas costas ,agora dizer que a karla tem mais condições físicas que a Chuca foi demais, a Karla vive machucada enquanto a Chuca nem me lembro mais quando foi sua ultima lesão. Se me lembro bem a Karla somente jogou bem em Londres em dois jogos, é piada fazer comparações entre essas duas jogadoras, cada uma tem seu estilo, vai se sair melhor aquela que puchar mais o saco do treinador, porque ai ele vai fazer jogadas pra jogadora de preferencia....é assim que funciona...ai uma se sobre sai sobre a outra....me conta outra Bert......

MARCOS disse...

CHUCA NÃO !!!!!!!!!!!!!!!

Antonio disse...

Acho que o Zanon está certíssimo poia usou as mais novas quando podia; agora vale classificação para o Mundial e não pode arriscar a vaga. A renovação passa por esta mesclagem de mais experientes com as menos experientes. Precisamos acabar com este preconceito que faixa dos 30 a 40 são velhas.Os comentários são de familiares e amiga(o)s o que é democrático mas não a realidade do conceito da convocação. Quanto as não convocações de Joice e Iziane penso que foi baseado na questáo d grupo.

Anônimo disse...

AIIII.....
CHUCA E CARLA, CHEGA DESSE POVO.
RENOVAÇÃO É TAMBÉM ACREDITAR NAS JOVENS GERAÇÕES.

Anônimo disse...

concordo com o zanon,louco seria se levasse so jogadoras novatas pois este campeonato vale vaga pra o mundial.e nao da pra ficar fora ne....

Ricardo disse...

Oi Bert,


Entendo sua opinião. Acredito que a Damiris seja a opção mais óbvia mesmo, mas sou da mesma opinião do agora comentarista Renatinho, se eu fosse montar um time de basquete feminino no Brasil, a minha primeira jogadora contratada seria a Clarissa, pois é impressionante a postura dela em quadra e a diferença que ela faz a favor de qualquer equipe, claro que a Erika seria minha segunda opção para o garrafão, nesse caso, mesmo a Damiris sendo uma ótima jogadora, ela seria minha terceira pivô.

Abraço!

Bert disse...

Ricardo, a Clarissa também estaria no meu time certamente. Gosto muito dela.

Anônimo disse...

Depois do fiasco de Londres imaginar que o time titular na Copa América provavelmente será o mesmo (Adrianinha, Karla, Chuca, Damiris e Erika) é desanimador.

Além de Adrianinha e Erika, Clarissa, Damiris e Jaqueline são bem experientes, já tendo jogado Mundiais e Olimpíadas por isso não tinha necessidade de convocar Karla e Chuca, talvez Karla ou Chuca, mas não as duas.

O time ficou muito velho e não dá para dizer que existe renovação se a base do time não mudou nenhum pouco.

Bert disse...

Anônimo 23:45

Emitir opinião agora é crime no Brasil?

Desculpando a minha curiosidade, mas onde você estudou código penal?

Imagino que deve ter sido no mesmo lugar onde não te ensinaram nem a diferença entre "passivo" e "passível".

Anônimo disse...

Complementando o meu comentário acima: Não existe renovação coisa nenhuma e explico porque:

Do time que o Tarallo levou para Londres, Zanon convocou Adrianinha, Karla, Chuca, Damiris, Erika, Clarissa e Nádia. Jaqueline já fazia parte do grupo anterior e teria ido à Londres se Iziane tivesse sido cortado um pouco antes. Troca-se Tássia por Débora e Franciele por Fabi que são praticamente da mesma idade (seis por meia dúzia) e a grande renovação do sr. Zanon consiste em trocar Joice Rodrigues (26) por Tainá ou Patrícia (22) e Sil por Tatiane ou Izabela Moraes.

Não vejo nenhuma renovação aqui, apenas de faz de conta!

Bert disse...

Raquel,

Condição física não quer dizer apenas presença de lesão.

Quer dizer força, velocidade, explosão etc...

Em Londres, isso comprometeu bastante o rendimento da Chuca (mais que o da Karla) em tudo e muito na defesa.

Se a Karla foi bem em dois jogos e a Chuca foi bem em quantos?

Você me pede pra contar outra, mas preferi contar números:

Karla - 56 pontos. Chuca - 23.
10 x 4 assistências.
5 x 2 nas recuperações.
3 x 0 nos tocos.
100 x 50 % nos lances livres;
30.6 x 0 % nos 3 pts
37,7 x 40, 7 nos 2 pts
3 x 16 nos rebotes

Anônimo disse...

Zanon teve um início ousado, mas para a competição oficial preferiu repetir o mais do mesmo dos últimos dois ciclos olímpicos. No frigir dos ovos acredito que o (fraco) Colinas tenha ousado mais convocando Tássia e Damiris em 2010 (antes do Mundial sub-19) e ao ter levado a última para um MUNDIAL ADULTO aos 17 anos. Zanon, mesmo após o ótimo Mundial Juvenil de Ramona e Sassá não teve coragem nem interesse de convocá-las para uma fraquinha Copa América. Enio Vecchi também integrou Nádia (aos 21 anos) e Clarissa (23 anos) na seleção que disputou o Pré-Olímpico e depois convocou Tássia, Tatiane, Jaqueline, Izabela para o Pan.
Zanon está sendo muito conservador, tal qual suas opções em Americana.
A tão sonhada renovação da seleção feminina, continua sendo apenas um sonho.

Ainnem Agon disse...

Muitos ae falaram que a Fabiana C nao entrava muito nos jogos de Americana, mas isso ocorria porque o time contratou a Sandora, tinha a Mama e ainda a Clarissa variando. Mas eh bom lembrar que Americana ganhou o Paulista de 2010 com a Fabiana jogando bastante ateh porque a Mama tava machucada (pra variar).

Anônimo disse...

Bert a única coisa que a Carla faz de bom é chutar de três e mais nada.

Anônimo disse...

se levar em consideração o tempo de quadra que uma e a outra teve você num acha que a Chuca foi melhor?

Bert disse...

não.

Anônimo disse...

ESSES COMENTÁRIOS QUE ALGUNS TORCEDORES FAZEM A RESPEITO DA KARLA, NÃO VÃO TIRAR O MÉRITO DELA. PARA QUE VOCES TENHAM UMA IDEIA DAS QUALIDADES DESSA GUERREIRA, VÁRIOS CLUBES TENTANTARAM CONTRATÁ-LA PARA A TEMPORADA 2013/4. MAIS A DIRETORIA DE AMERICANA FOI MAIS RÁPIDA E MANTEVE NOS SEUS QUADROS.NA ATUALIDADE BRASILEIRA, ME APRESENTE UMA ALA ARMADORA MELHOR QUE A KARLA, A TORCIDADE DE AMERICANA AGRADECE....

Sérgio/RJ disse...

AINDA CONTINUO INSISTINDO QUE NÃO DEVERIA TER CHAMADO AS TRINTONAS, POIS COM ELAS O BRASIL SÓ SE F..., AS NOVATAS TEM QUE PASSAR APERTO, FRIO NA BARRIGA E APRENDER A TER RESPONSABILIDADE, SE NÃO NUNCA GANHARÃO A TÃO SONHADA EXPERIÊNCIA. GOSTO MUITO DO JOGO DA KARLA E DA ADRIANINHA, MAS ISSO NÃO É RENOVAÇÃO... MEU DEUS DO CÉU, PORQUE FUI ME APAIXONAR PELO BASQUETE, SERIA MUITO MENOS FRUSTRANTE O VOLEY.

Anônimo disse...

NAO ENTENDO O ZANON DEIXAR A TASSIA DE FORA DESSA RENOVACAO SENDO QUE ELA JA VOLTOU A TREINAR E ESTA MUITO BEM.SENDO QUE EM AMERICANA ELE USAVA A TASSIA DE LATERAL NO LUGAR DE KARLA TASSIA DE LATERAL E DEBORA DE ARMADO,DA UMA DELA DUPLA.VAI ENTENDER ESTE TECNICOS NE

Ricardo disse...

A evolução da Clarissa é realmente impressionante Bert, por isso o meu time seria Clarissa + 11 e meu quinteto titular Clarissa + 4. Não tem como jogar uma atleta como ela no banco.

Marco disse...

Também não convocaria a Chuca nesse momento, pois precisamos pensar em 2016, mas sendo justo, ela merece ser valorizada, pois é uma atleta referência em todas as equipes que disputou.

No último ciclo olímpico ficou claro que a Hortência não queria ela na seleção, ela voltou por insistência do Enio Vecchi e foi a bola de segurança da equipe no Pré-Olímpico.

Com o Tarallo, ela começou como reserva, quando ele teve a grande ideia de colocar a Damiris na posição 3.

Estava claro que não existia confiança no basquete da Chuca e que tinha pouco espaço para ela no time, mesmo assim ela fez boas partidas, sendo cestinha do jogo contra a Rússia em Londres.

A Chuca é uma jogadora de time e com certeza ela vem para ajudar, para passar confiança para as atletas mais novas e é bacana esse espírito coletivo e de colaboração que ela tem.

Vejamos pelo lado positivo, já que ela foi convocada vamos torcer para que ela jogue até o Mundial, com a oportunidade de mostrar seu talento e poder encerrar seu ciclo na seleção de forma positiva.

Quando Adrianinha, Karla e Chuca passaram a ser protagonistas na seleção brasileira, o time teve seus piores resultados e a culpa não foi delas, mas de uma série de problemas causados por outras pessoas.

Seria justo com atletas que amam o que fazem, que honram a camisa que vestem, encerrar seu ciclo pela seleção brasileira com um bom resultado.

Vamos torcer!

Anônimo disse...


Este texto sim é de alguém que sabe se expressar respeitando o trabalho das pessoas sem querer excitar a massa. Culpar um ou outro é muito facil.

Marco disse...
Também não convocaria a Chuca nesse momento, pois precisamos pensar em 2016, mas sendo justo, ela merece ser valorizada, pois é uma atleta referência em todas as equipes que disputou.

No último ciclo olímpico ficou claro que a Hortência não queria ela na seleção, ela voltou por insistência do Enio Vecchi e foi a bola de segurança da equipe no Pré-Olímpico.

Com o Tarallo, ela começou como reserva, quando ele teve a grande ideia de colocar a Damiris na posição 3.

Estava claro que não existia confiança no basquete da Chuca e que tinha pouco espaço para ela no time, mesmo assim ela fez boas partidas, sendo cestinha do jogo contra a Rússia em Londres.

A Chuca é uma jogadora de time e com certeza ela vem para ajudar, para passar confiança para as atletas mais novas e é bacana esse espírito coletivo e de colaboração que ela tem.

Vejamos pelo lado positivo, já que ela foi convocada vamos torcer para que ela jogue até o Mundial, com a oportunidade de mostrar seu talento e poder encerrar seu ciclo na seleção de forma positiva.

Quando Adrianinha, Karla e Chuca passaram a ser protagonistas na seleção brasileira, o time teve seus piores resultados e a culpa não foi delas, mas de uma série de problemas causados por outras pessoas.

Seria justo com atletas que amam o que fazem, que honram a camisa que vestem, encerrar seu ciclo pela seleção brasileira com um bom resultado.

Vamos torcer!