quarta-feira, 16 de abril de 2014

Americana aposta no conjunto para sequencia da série final da LBF – 2013/14

A experiente Karla Costa, do Americana, entrou no decorrer do primeiro jogo da série melhor-de-três do playoff – final da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 e desempenhou um papel importante, ajudando a sua equipe a derrotar o Sport Recife, 62 a 55, em Americana (SP). Ao lado das companheiras Damiris do Amaral, Clarissa dos Santos e a cubana Ariadna Felipe, esteve entre os destaques da partida.

Para Karla, o conjunto foi o fator determinante do seu time para iniciar a disputa de forma satisfatória. “Creio que o aspecto coletivo foi importante neste primeiro jogo, uma vez que cada jogadora desempenhou bem o papel que estava designado, dando o seu melhor. Para o segundo confronto da série, nós estamos treinando forte, pois sabemos que será muito difícil, por isso, foco 100% durante a semana de trabalho”, comenta a ala/armadora, que tem como meta sempre ajudar a equipe, independente do seu tempo de quadra.

“Entrei para somar! 01, 02 ou 40 minutos, eu estava preparada para ajudar. Esse é o pensamento de toda a nossa equipe”, acrescenta Karla, que atou por pouco mais de dez minutos, anotando seis pontos, apanhando um rebote e dando uma assistência.

O segundo jogo da série melhor-de-três do playoff – final da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 acontece sábado (19 de abril), às 13h00 (de Brasília), no ginásio Marcelino Lopes (Ilha do Retiro), em Recife (PE), com transmissão ao vivo pelos canais SporTV. Se necessário, o terceiro confronto será realizado na segunda-feira (21 de abril), às 18h45 (de Brasília), novamente na capital pernambucana.

Fonte: LBF

Sport Recife convoca torcida para o segundo jogo final da LBF – 2013/14

A torcida do Sport Recife foi destaque na Liga de Basquete Feminino (LBF) da temporada passada, sempre empurrando a equipe e sendo a ‘sexta jogadora’ em quadra. Nesta edição, não fez diferente, durante todos os jogos lotaram as dependências do ginásio Marcelino Lopes, em Recife (PE), e fizeram a diferença. Na primeira partida da final, as leoas perderam para o Americana, jogando no interior paulista (62 a 55), e neste sábado (19 de abril), às 13h00 (de Brasília), entram em quadra precisando vencer para seguir com chance de conquistar o bicampeonato.

Neste momento, a equipe rubro-negra necessita mais do que nunca do apoio do torcedor e o técnico Roberto Dornelas acredita que não vai se desapontar. “Precisamos desse apoio vindo das arquibancadas mais do que nunca e espero que esse feriado não nos atrapalhe. Lugar de rubro-negro neste sábado é no Marcelino! E sei que eles estarão aqui, nos dando apoio incondicional, como sempre fizeram”, diz o comandante rubro-negro.

Os trabalhos visando à segunda partida da final já começaram. As atletas fizeram sessões com a psicóloga da equipe e assistiram ao último jogo, onde analisaram seus erros em quadra. Na terça-feira (15 de abril), colocaram em prática tudo que foi estudado. O técnico fez um trabalho puxado de duas horas, prevendo algumas situações que poderão acontecer na segunda partida da série final.

Os treinamentos desta semana acontecerão às 14h00 (de Brasília), já para as atletas sentirem o clima que vão enfrentar durante o jogo. Para a armadora Adrianinha Moisés, essa mudança durante a semana está sendo muito importante.

“É bom porque temos a semana inteira para fazer nosso corpo se acostumar, tanto com o calor, como com a hora da alimentação. Esse tempo é necessário para estarmos prontas para entrar em quadra no sábado”, explica a experiente atleta.

O segundo jogo da série melhor-de-três do playoff – final da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 acontece sábado (19 de abril), às 13h00 (de Brasília), no ginásio Marcelino Lopes (Ilha do Retiro), em Recife (PE), com transmissão ao vivo pelos canais SporTV. Se necessário, o terceiro confronto será realizado na segunda-feira (21 de abril), às 18h45 (de Brasília), novamente na capital pernambucana.

Fonte: LBF

Cris, armadora do São José/Colinas Shopping, encerra a carreira e deixa legado de amor ao basquete

Cris_01-745x496

Nas três participações do São José/Colinas Shopping na Liga de Basquete Feminino (LBF), Cris (foto) sempre foi a líder em quadra em todos os momentos. Desde que veio para a cidade, em 2011, ela contribuiu com energia e entrega total para que o time mantido pela Prefeitura desse os primeiros passos e se firmasse na elite da modalidade no Brasil.

Aos 35 anos e duas cirurgias nos joelhos, a armadora resolveu deixar as quadras depois de 27 anos dedicados ao basquete. Na sexta-feira (11 de abril), esteve presente (pela última vez como jogadora) na reunião de encerramento das atividades da temporada, realizada na Secretaria de Esportes e Lazer.

Cris recebeu uma placa de reconhecimento, um cartão com mensagem de agradecimento das colegas e a camisa 78, o número usado com muito orgulho e confiança pela atleta para defender as cores azul e branca. Logo que começou a falar, ela se emocionou quando lembrou do retorno ao Brasil, depois de seis anos na Espanha, e da chegada a São José dos Campos. “Eu tinha o sonho de encerrar a carreira no meu país, mas não é fácil tomar uma decisão dessas.”

No encontro, o secretário de Esportes citou o papel de Cris como exemplo para as demais atletas. “É um legado que fica para as meninas das categorias de base, que têm um modelo em quem se espelhar.” O diretor executivo do São José Desportivo (organização social responsável pela gestão dos dois times de basquete da cidade), Rafael Mota, e o coordenador das equipes joseenses de alto rendimento, Antônio Carlos Silvério, também destacaram a importância da atleta para a evolução da equipe feminina.

Aquela atleta decidida e inabalável ao longo da carreira dessa vez não resistiu às lágrimas. “Eu vivi grandes momentos aqui e recebi um carinho muito grande de São José”, declarou ela, bastante comovida e quase sem conter o choro, em agradecimento aos integrantes da comissão técnica. “Esse time tem tudo para continuar crescendo, e acho que quando ele for campeão eu também vou sentir o gostinho.”

Capitã e líder do time
Com a presença de Cris, o São José/Colinas Shopping, liderado pelo treinador Carlinhos Lima e pelo coordenador Maurício Ianicelli, cresceu nos três campeonatos. A equipe, que ficou em quinto lugar na primeira vez em que disputou o torneio (2011/2012), terminou em quarto na edição seguinte (2012/2013) e em terceiro na atual temporada (2013/2014).

Capitã do quinteto joseense, Cris foi a condutora do grupo nessa caminhada. De personalidade séria e determinada, assumia a responsabilidade de organizar a equipe, na alegria do triunfo e na tristeza quando o sucesso não era alcançado. Pela idade e experiência, era também uma espécie de irmã mais velha das demais atletas. Muitas vezes orientava as mais jovens e assumia a responsabilidade em momentos que requeriam decisão rápida, seja com arremesso certeiro de três pontos ou uma infiltração para fazer a bandeja.

A torcida do basquete feminino joseense, certamente vai sentir a falta da camisa 78 no ginásio da ADC GM, onde o time manda as partidas. Cris escolheu esse número numa referência ao ano em que nasceu, exatamente no dia 02 de novembro, em Piracicaba (SP), filha de pais originários do norte de Minas Gerais.

Com 08 anos de idade, Cristina Sousa de Carvalho, a Cris, começou a praticar basquete na escolinha do BCN, agremiação na qual permaneceu por uma década. Aos 17, ela se mudou para Osasco. Foi quando saiu de casa pela primeira vez. A família entendeu a opção, pois sabia que a jovem atleta tinha maturidade. “Meus pais assistiam os jogos, sempre me incentivavam, mas me davam liberdade.”

A primeira mudança de clube ocorreu quando Cris estava com 20 anos. Ela foi contratada pelo Santo André. Depois foi para o Ourinhos, Americana, São Bernardo, Ponte Preta. Nesse percurso, teve a oportunidade de atuar ao lado da armadora Paula, campeã mundial em 1994 e medalha de prata pela Seleção Brasileira na Olimpíada de Atlanta, em 1996. “Aprendi muito com ela, e foi um prazer poder jogar com uma pessoa de quem eu era fã.”

Brasil, Espanha e família
Tendo passado por equipes femininas tradicionais do Brasil, Cris recebeu o convite para jogar no basquete espanhol quando estava com 26 anos. Lá defendeu clubes de regiões com cultura distinta e até língua própria. O primeiro foi o Cadí la Seu, de Barcelona, na Catalunha. Depois, na capital – Madri -, Galícia e ilha de Mallorca. Pelo esquadrão galego, a brasileira foi campeã e eleita a melhor jogadora da final da segunda divisão, que garantiu ao time a vaga na elite da liga profissional.

No período em que estava no país ibérico, Cris passou por várias dificuldades, desde lidar com o idioma (hoje ela fala fluentemente espanhol e entende o catalão) e ficar longe da família até ter de mudar o estilo de jogo, pois lá predomina jogadas que exigem força e há muita cobrança por resultados. Mas também aprendeu muito e teve a ajuda das amigas que conheceu na modalidade, muitas delas estrangeiras, para poder se adaptar à situação. “Tive a sorte de estar em grupos que me acolheram, e também cresci como jogadora.”

O desejo de voltar ao Brasil coincidiu com a proposta de trabalho em terras joseenses. “Fui muito bem recebida por pessoas que respeitaram minha trajetória.” Aqui ela se adaptou à cidade, levou a equipe a ser referência nos dois campeonatos mais importantes entre as mulheres – o brasileiro e o paulista – e ajudou a trazer mais adeptos para a modalidade. “O basquete feminino está conquistando São José”, afirma.

Contudo, as dores que vinha sentindo fizeram com que Cris decidisse parar. Afinal foram duas operações no joelho esquerdo e uma no direito. Ela entendeu que chegou a ocasião de se despedir das quadras para não sofrer mais lesões. “Eu gosto de estar em alto nível, e não iria me poupar nos treinos.”

Recém-aposentada ela quer curtir a família – pai, mãe, sobrinhos (ela tem irmão único) – em Piracicaba (SP), coisa que há muito tempo não fazia por morar fora. Com dois anos de psicologia, ela também não sabe se volta a estudar. Agora vai aproveitar o tempo livre para rever amigos, ver filmes de ação, e ouvir muita música popular brasileira, o gênero que mais aprecia. Mas o basquete continuará na mente e no coração dela.

Foto: Tião Martins/PMSJC
Texto: Claudio Ferreira Ribeiro/PMSJC

terça-feira, 15 de abril de 2014

Draft 2014 da WNBA



Ocorreu ontem (14/04) o  draft da WNBA e a primeira escolha, que pertencia a equipe do Connecticut Sun foi Chiney Ogwumike, da Universidade de Stanford. Com médias de 26 pontos e 12 rebotes no Campeonato Universitário, a atleta é filha de imigrantes nigerianos, irmã de Nneka Ogwumike, atual jogadora dos Los Angeles Sparks, escolha n.º 1 do draft de 2012.

Chiney tem 1,91m de altura e joga de ala/pivô. Ela formaria uma dupla de garrafão poderosa com Tina Charles. Formaria, porque ontem mesmo a pivô selecionada como n.º 1 no draft de 2010 foi negociada com o New York Liberty. A equipe do Sun recebeu em troca a escolha n.º 4 do draft de ontem, Alyssa Thomas e a pivô Kelsey Bone, escolha n.º 5 da equipe de New York no ano passado.

Algumas atletas estrangeiras que atuam na NCAA também foram selecionadas, como as canadenses Natalie Achonwa (9.ª posição) e Michelle Plouffe (19ª), bem como a ucraniana Inga Orekhova (18.ª posição). Das estrangeiras que atuam fora dos Estados Unidos, Astou Ndour nascida em Senegal e naturalizada espanhola ficou na 16.ª posição, as australianas Carley Mijovic e Stephanie Talbot também foram selecionadas. As três são nascidas em 1994, idade limite para a seleção de atletas que atuam em outros países. Elas são da mesma geração das brasileiras Isabela Ramona e Sassá e também participaram do Mundial sub-19 em 2013.

Segue a lista completa do draft 2014 da WNBA:

1 Connecticut Sun (10-24), Chiney Ogwumike
2 Tulsa Shock (11-23), Odyssey Sims
3 San Antonio Stars (12-22), Kayla McBride
4 New York Liberty (11-23), Alyssa Thomas
5 Indiana Fever (16-18), Natasha Howard
6 Washington Mystics (17-17), Stefanie Dolson
7 Seattle Storm (17-17), Bria Hartley
8 Atlanta Dream (17-17), Shoni Schimmel
9 Indiana Fever (16-18), Natalie Achonwa
10 Chicago Sky (24-10), Markeisha Gatling
11 Connecticut Sun (10-24), Chelsea Gray
12 Minnesota Lynx (26-8), Tricia Liston

2014 WNBA DRAFT - 2.º RODADA

1 (13) Tulsa Shock (11-23), Jordan Hooper
2 (14) New York Liberty (11-23), Tyaunna Marshall
3 (15) Minnesota Lynx (26-8), Asya Bussie
4 (16) San Antonio Stars (12-22), Astou Ndour
5 (17) Phoenix Mercury (19-15), Tiffany Bias
6 (18) Atlanta Dream (17-17), Inga Orekhova
7 (19) Seattle Storm (17-17), Michelle Plouffe
8 (20) Atlanta Dream (17-17), Cassie Harberts
9 (21) Phoenix Mercury (19-15), Maggie Lucas
10 (22) Chicago Sky (24-10), Gennifer Brandon
11 (23) Los Angeles Sparks (24-10), Jennifer Hamson
12 (24) Minnesota Lynx (26-8), Christina Foggie

2014 WNBA DRAFT - 3.ª RODADA

1 (25) Connecticut Sun (10-24), DeNesha Stallworth
2 (26) New York Liberty (11-23), Meighan Simmons
3 (27) Tulsa Shock (11-23), Theresa Plaisance
4 (28) San Antonio Stars (12-22), Bri Kulas
5 (29) Indiana Fever (16-18), Haiden Palmer
6 (30) Washington Mystics (17-17), Carley Mijovic
7 (31) Seattle Storm (17-17), Mikaela Ruef
8 (32) Washington Mystics (17-17), Kody Burke
9 (33) Phoenix (19-15), Stephanie Talbot
10 (34) Chicago Sky (24-10), Jamierra Faulkner
11 (35) Los Angeles Sparks (24-10), Antonita Slaughter
12 (36) Minnesota Lynx (26-8), Asia Taylor

segunda-feira, 14 de abril de 2014

FPB divulga relação dos Melhores de 2013

Categoria Sub-13
Atleta Capital: Isadora Alves Cardoso Souza - Apagebask-Guarulhos
Atleta Interior: Camila Bortolossi Branco - Prefeitura Municipal de Itatiba
Técnico: Dyego Maranini Cavalcanti - Apagebask-Guarulhos
Categoria Sub-14
Atleta: Rafaela Assis Silvestre - A.D. Santo André
Técnica: Maria Carolina de Souza - A.D. Santo André
Categoria Sub-15
Atleta: Lays da Silva - Colégio Helios/DNA Basquete 
Técnica: Anne Amália de Freitas - Unimed/Americana 
Categoria Sub-17
Atleta: Vitória Maria Domingos Marcelino - São José/Atleta Cidadão
Técnico: Luiz Claudio Cicchetto Tarallo - Divino/COC/Jundiaí
Categoria Sub-19
Atleta: Isabela Ramona Lyra Macedo - São José/Atleta Cidadão
Técnico: Carlos José Lima - São José/Atleta Cidadão
Categoria Primeira Divisão
Atleta: Erika Regina Leite - XV/Unimep/Amhpla/Selam
Técnico: Ariel Rodrigues - XV/Unimep/Amhpla/Selam
Categoria Divisão Especial A-2
Atleta: Jeanne Flausino Morais - Uniesp/Cia de Talentos/Venceslau
Técnico: Flavio Antônio dos Santos Almeida Prado - Uniesp/Cia de Talentos/Venceslau
Categoria Divisão Especial A-1
Atleta: Jaqueline de Paula Silvestre - A.D. Santo André
Técnico: Antônio Carlos Vendramini - Americana 
Atleta Revelação: Vanessa Fausto Gonçalves - A.D. Santo André
Seleção de Ouro
Tainá Mayara Paixão - Ourinhos Basquete 
Jaqueline de Paula Silvestre - A.D. Santo André
Ariadna Capiro Felipe - Americana 
Karina da Silva Jacob - São José/Colinas Shopping 
Clarissa Cristina dos Santos - Americana

Laís Elena é a dona da bola (Diário do Grande ABC)

Anderson Fattori e Nilton Valentim

18048241bfa04c598719

Nos últimos 50 anos muita coisa mudou no basquete: as regras, o material da bola, o sistema de pontuação, de marcação de tempo (deixou de ser duas etapas de 20 minutos, para quatro de dez). Em Santo André, tudo isso foi incorporado, mas uma coisa permanece inalterada por meio século: a presença de Laís Elena Aranha, 71 anos, no grupo.

A história da modalidade na cidade se confunde com a sua trajetória de vida. Ela chegou em 1964 para defender as cores da extinta Pirelli e, desde então, dedica-se integralmente ao esporte. Laís parece ter descoberto a estratégia certa para driblar o tempo. Permanece inabalável como dona da bola e neste período acumulou títulos, formou atletas, conquistou respeito e contribuiu (e muito) para o desenvolvimento da modalidade.

“Lembro-me muito bem do Paulo Albano (ex-treinador da Pirelli) ir me buscar em Piracicaba com a peruinha amarela da Pirelli”, recorda-se Laís, que havia feito as primeiras cestas com a camisa do Tênis Clube de Garça, em 1959, quando chamou a atenção dos responsáveis pelo Corinthians durante um amistoso. Mas seu pai só autorizou que ela viesse jogar na Capital no ano seguinte, quando completou 17 anos.

Laís defendeu o Corinthians por três temporadas e depois migrou para o XV de Piracicaba, onde jogou um ano antes de vir para a Pirelli. “O Paulo Albano estava montando uma equipe forte, que tinha a Nilza, a Odila e a Nadir Basani e precisava de uma armadora”, recorda-se.

Ela já tinha no currículo a disputa do Campeonato Mundial do Peru (em 1964, com 15 pontos em seis jogos), mas confessa que só aceitou vir jogar em Santo André porque aqui havia uma oportunidade a mais. “Quando cheguei, fui trabalhar na biblioteca. A gente treinava apenas três vezes por semana. Eram outros tempos. Depois, passei a trabalhar no (complexo) Pedro Dell''Antonia, onde dava aulas de natação”, lembrou Laís.

Aos 34 anos, a armadora diz ter “enjoado” de jogar e preferiu mudar de função. Passou a treinar as categorias de base da Pirelli e foi a partir daí que descobriu o que mais lhe dá prazer no esporte: a formação de atletas. “Fomos sede do primeiro campeonato estadual da categoria até 15 anos e ganhamos. E olha que o time de São Caetano tinha a Hortência”, recorda.

Hortência, aliás, é uma das pessoas que mais respeita o trabalho da técnica. “Nunca fui treinada pela Laís. Mas tenho certeza de que se não fosse por ela, o basquete não teria sobrevivido em Santo André. O esporte da cidade deve muito a ela”, conta a Rainha. “A Laís faz parte da história do basquete brasileiro”, completou.

A contribuição destacada pela Rainha Hortência pode ser traduzida pelo número de atletas formadas por Laís e por sua parceira Arilza Coraça. Muitas delas, como Marta, Leila, Chuca, Mamá, Vivian e Simone Lima defenderam as cores da Seleção Brasileira em competições internacionais. Outras, tiveram no esporte a chance para mudar de vida.

“A vitória me dá satisfação, mas oferecer oportunidades para essas garotas é o que verdadeiramente me emociona. Somos uma cidade formadora. Ninguém deu tantas atletas para a Seleção adulta como Santo André”, ensina a treinadora, que prepara a retirada das quadras para o ano que vem, após o término da Liga de Basquete Feminino.

No Mundial, ela teve tratamento de estrela
Dos quatro campeonatos mundiais disputados por Laís Elena, o que mais lhe emociona foi do Brasil, de 1971. A Seleção atuou em São Paulo, no Ibirapuera, e ficou com a medalha de bronze. “Íamos treinar e víamos aquelas filas imensas na porta do ginásio para comparar ingressos. Depois, quando entrávamos em quadra, ouvíamos todas as pessoas cantando aquela música ‘90 milhões em ação, salve a Seleção’. Isso era de arrepiar”.

Foram dias em que as jogadoras viveram um conto de fadas. “Tínhamos um andar inteiro no hotel. Recebíamos tantas flores que não dava nem para carregar. O presidente da República, Emílio Garrastazu Médice, telefonava. O governador de São Paulo, Laudo Natel, ia aos vestiários...” O Brasil terminou em terceiro lugar, com quatro vitórias (França, Coréia do Sul, Japão e Cuba) e duas derrotas, para a campeã União Soviética e a vice Tchecoslováquia.

O desempenho foi decisivo para o crescimento da modalidade no País. Publicações da época dão conta de que havia cerca de 100 jogadoras de basquete no Brasil e o Mundial incentivou o surgimento de outras. Uma delas foi Arilza Coraça. “Eu era estudante da USP (Universidade de São Paulo) e trabalhei no Ibirapuera. Quando acabou o Mundial, vim para Santo André tentar uma vaga na Pirelli”, relembra. Deu certo, ela foi atleta, passou a treinadora e depois auxiliar-técnica de Laís Elena.

Parceira de longa data, Arilza elogia disposição em ajudar às atletas
Arilza Coraça pode ser considerada a fiel escudeira de Laís Elena. Trabalhando juntas na comissão técnica de Santo André desde 1985, quando a auxiliar técnica resolveu encerrar a carreira, elas se comunicam quase que por telepatia. “Nos entendemos bem. Desde a minha época de jogadora sempre gostei mais de atuar na defesa e a Laís de cuidar do ataque. Acho que isso faz com que nossa relação seja sadia”, opina Arilza, que foi atleta de Santo André de 1971 até abandonar as quadras.

Apesar de reconhecida pelo que faz na quadra, para Arilza, o lado mais bonito de Laís Elena é longe das quatro linhas. “Fico impressionada como cuida das pessoas. Uma vez voltávamos de um jogo no Paraná e uma jogadora estava com forte dor de garganta. Ela andou pelo aeroporto até achar um médico que pudesse cuidar dela. É um ser humano fantástico”, elogiou Arilza.

Vídeo: Laís Elena comemora 50 anos de basquete em Santo André

Fonte: Diário do Grande ABC

domingo, 13 de abril de 2014

Vídeo: Galatassaray é campeão da Euroliga Feminina

Final: Galatassaray (TUR) x Fernebahce (TUR)


Decisão do 3º lugar: Ekaterimburg (RUS) x Bourges (FRA)

Barretos vence Jundiaí na abertura do Paulista A2

Neste sábado (12 de abril) foi realizada a partida de abertura do Campeonato Paulista Estadual da Divisão Especial Série A-2 Feminino, onde o APAB/Guarani/Barretos venceu o Divino/Jundiaí, por 62 a 44, no CEMEI, na cidade de Barretos (SP). A cestinha da partida foi Marcella Santos, do Divino, com 15 pontos.

Fonte: FPB

sábado, 12 de abril de 2014

FIBA muda a sede e Mundial Sub-17 Feminino será disputado na República Tcheca

Originalmente previsto para ocorrer em Bratislava, capital da Eslováquia, o Mundial Sub-17 deste ano foi transferido pela FIBA para a vizinha República Tcheca devido a aplicação de suspensão à Federação Eslovaca.

As datas do campeonato (de 28 de junho a 6 de julho) bem como os grupos e as seleções participantes (incluindo a Eslováquia), foram mantidas.


Americana sai na frente na decisão da LBF – 2013/14

Americana_Sport_LBF_Final_02
O Americana saiu na frente na série melhor-de-três do playoff – final da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 ao derrotar o Sport Recife, neste sábado (12 de abril), por 62 a 55 (26 a 25 no primeiro tempo), em partida realizada no ginásio Municipal Centro Cívico, na cidade de Americana (SP).
O primeiro quarto foi disputado em ritmo forte, com os dois times correndo bastante, mas com os erros superando os acertos. O time pernambucano começou melhor e a equipe paulista equilibrou as ações na sequencia. Na parte final, a equipe da casa levou ligeira vantagem (15 a 14), com boas presenças das pivôs Clarissa dos Santos, do Americana, e Erika de Souza, do Sport Recife.
No período seguinte começou com o mesmo panorama do anterior, com as duas equipes demonstrando ansiedade e errando passes e finalizações. Na parte final, os dois times se soltaram mais, com boas performances de Ega Garvão e Damiris do Amaral, pelo mandante, e Adrianinha Moisés, em favor do visitante (11 a 11).
Na volta do intervalo, o Americana cresceu de produção e chegou a estar cinco pontos na frente, mas o Sport, aos poucos, foi equilibrando as ações. Na sequencia, entretanto, o time da casa aproveitou-se de alguns erros do rival e voltou a abrir cinco pontos. E esse foi o panorama até o final, com destaque para o trio formado pela cubana Ariadna Felipe, Clarissa dos Santos e Damiris do Amaral, todas pelo time da casa, e Erika de Souza, pelo visitante (20 a 12).
Nos dez minutos finais, o Americana manteve o ritmo, com bom aproveitamento nas bolas de média e longa distancia, além de uma marcação eficiente, aumentando a vantagem que chegou a ser de 15 pontos. Depois, o Sport Recife melhorou e conseguiu baixar um pouco a diferença, mas sem conseguir se aproximar (16 a 18), com boas presenças de Clarissa, Ariadna, Damiris e Karla Costa, pelo time da casa, e Palmira Marçal, em favor visitante.
Os principais nomes da partida foram Clarissa dos Santos (18 pontos e 03 rebotes), Ariadna Felipe (14 pontos e 05 rebotes) e Damiris do Amaral (11 pontos, 15 rebotes e 02 assistências – double-double), pelo time da casa; Erika de Souza (19 pontos e 12 rebotes –double-double) e Palmira Marçal (11 pontos e 04 rebotes), em favor do visitante.
“Tivemos uma atuação com o conjunto prevalecendo e quando isso acontece o nosso time se fortalece bastante. Além disso, contamos com este apoio sensacional dos nossos torcedores”, comenta a ala cubana Ariadna Felipe, do Americana.
“No terceiro quarto crescemos de produção, com o nosso ataque sendo determinante para que vencêssemos. A defesa foi bem durante o jogo todo”, acrescenta o técnico Antônio Carlos Vendramini, do Americana.
“Sabíamos que seria uma final assim, acirrada, com placar baixo, mas erramos em demasia e o adversário aproveitou para abrir vantagem e vencer esta primeira partida da série”, analisa o técnico Roberto Dornelas, do Sport Recife.
O segundo confronto, que pode ser o decisivo, ocorre no sábado (19 de abril), às 13h00 (de Brasília), em Recife (PE). Uma nova vitória garante o título ao Americana.
Fonte: LBF

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Americana x Sport Recife: vai começar à decisão da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14

DSC_0067-745x493

A série melhore-de-três do playoff – final da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 será aberta neste sábado (12 de abril), às 12h00 (de Brasília), no ginásio Municipal Centro Cívico, na cidade de Americana (SP), com a partida entre o Americana e o Sport Recife. O duelo terá transmissão ao vivo pelos canais SporTV.

Para chegar a esta decisão, o Americana, que é comandado pelo técnico Antônio Carlos Vendramini, concluiu a fase inicial na segunda colocação, somando 26 pontos, em 14 jogos realizados (12 vitórias e 02 derrotas). Na série semifinal, eliminou o São José/Colinas Shopping com duas vitórias e nenhuma derrota.

Para o time paulista, sair na frente na série, aproveitando o fator quadra, será fundamental para sequencia da disputa. “É importante ganharmos em casa, pois nos dará mais confiança para os jogos em Recife. O apoio do nosso torcedor será fundamental”, relata a armadora Babi Honório, do Americana. “Temos condições de jogar de igual para igual, já que são duas equipes de alto nível. O nosso grupo está completo, sem qualquer problema de contusão. As atletas estão focadas, trabalharam forte e a expectativa é muito boa para iniciar favoravelmente esta série decisiva”, acrescenta Vendramini.

Já o Sport Recife, dirigido pelo técnico Roberto Dornelas, fechou a primeira fase na liderança, registrando a mesma campanha do rival – 12 vitórias e 02 derrotas (14 jogos). O Rubro Negro, que busca o bicampeonato, ficou com o primeiro lugar, devido ao confronto direto, vencendo os dois duelos diante do Americana na etapa inicial da competição. Na semifinal, suplantou ao Maranhão Basquete, no Clássico do Nordeste, com duas vitórias e nenhuma derrota.

Mesmo com um retrospecto favorável diante do Americana em jogos válidos pela LBF, as atletas rubro-negras sabem que qualquer bobeira em quadra pode significar a derrota. “Por isso todo o cuidado será necessário, assim como foi contra o Maranhão Basquete”, adverte a ala Iza Andrade, do time pernambucano.

“A expectativa é de uma série muito dura, equilibrada e bastante atrativa para o público, já que envolve duas equipes que se credenciaram ao longo do campeonato, realizando as melhores campanhas da primeira fase e passando bem pela semifinal. O Americana é o time que mais conquistou títulos nos últimos anos, sempre se credenciando como favorito em qualquer campeonato que dispute. Mas, vamos tentar a vitória fora de casa para trazer a decisão para Recife, já na segunda partida da série”, acrescenta o técnico Roberto Dornelas.

Foram dois confrontos entre os times finalistas nesta edição, com duas vitórias do Sport Recife: 62 a 58, no turno, em Americana (SP), e 73 a 70, no returno, em Recife (PE). Já na edição anterior da LBF, estes times decidiram a competição e o título ficou com o representante de Pernambuco.

As duas agremiações lutam pelo segundo título da Liga de Basquete Feminino (LBF): o Americana venceu a edição 2011/2012, enquanto que o Sport Recife garantiu a taça na edição de 2013.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Em sua estreia na ARBRP, Araraquara perde para Catanduva

003 novos

Jogando na cidade de Catanduva no último dia 6/4 a equipe Fundesport Araraquara estreou na Liga ARBRP categoria adulto feminino. A equipe, que está em processo de formação, treinou apenas duas semanas para o primeiro jogo e enfrentou uma grande equipe. Após partida equilibrada a equipe de Catanduva abriu diferença no último quarto e venceu a partida por 49x37. As cestinhas de Araraquara foram Camila e Verônica com 9 pontos cada. A equipe voltaria a jogar no próximo sábado dia 12/4 em Araraquara,  mas teve o jogo adiado sem data definida, a próxima partida da equipe será então no dia 4/5 em Avaré. A equipe é mantida pela FUNDESPORT e conta com o apoio da academia Infinity Fitness e continua a procura de novos apoiadores.

São José termina em terceiro lugar na LBF



São José ficou na terceira colocação na Liga de Basquete Feminino (LBF), após perder para o Americana, na sexta-feira (4), pelo placar de 76 a 48, no segundo jogo da semifinal. Essa é a melhor performance joseense nas três vezes em disputou a elite nacional da modalidade, que está na quarta edição.

Estreante na temporada 2011/2012, o time ficou em quinto lugar ao cair diante do Santo André nas quartas de final. No ano passado, o São José subiu mais um degrau e terminou em quarto lugar, tendo perdido a vaga na final para o Sport, que se tornou o campeão. 

Dirigido por Carlinhos Lima, o elenco joseense teve a participação de 14 atletas nos 18 jogos disputados. No total foram 12 triunfos e 6 derrotas. Participaram da campanha as armadoras Cris e Carol, as laterais James (que deixou a equipe por contusão), Karen, Ramona, Cacá, Luana e Estela, e as pivôs Plutin, Karina, Fabi, Armstrong, Thaís e Vitória. 

O São José encerrou a participação geral na atual temporada à frente de Maranhão, Ourinhos e Santo André, Rio Claro e Brasília. Chegou em terceiro lugar na primeira fase, com dez vitórias em 14 partidas. Nas quartas de final, venceu os dois primeiros e eliminou o Santo André, sem precisar do terceiro confronto.

Fonte: SJC

Jundiaí vence Barretos na estreia do Campeonato Paulista sub-19


O Divino Jundiaí estreou com vitória no Campeonato Paulista de Basquete Feminino, categoria Sub 19. Em um bom jogo disputado no ginásio do Bolão, o Divino venceu o time de Barretos por 78 a 52, marcando forte, o que já é uma tradição da equipe, e mantendo o controle da partida até o final. A cestinha da partida foi a armadora Susan Cortes, que anotou 18 pontos.

Neste ano, o campeonato será bem disputado, com grandes equipes como o próprio Divino, Americana, SESI, São José, Barretos, Bradesco, São Caetano... E começar com vitória já foi um incentivo interessante para a continuidade do trabalho. 

Confira a seguir a programação dos próximos jogos do Divino:

Equipe Sub 19 - Campeonato Paulista Adulto A2
12/04 SÁB 19H00 - BARRETOS X DIVINO - BARRETOS
26/04 SAB 16H00 - DIVINO X LINS - DIVINO
09/05 SEX 19H00 - DIVINO X RIBEIRÃO PRETO - BOLÃO
22/05 QUI 19H00 - SANTOS X DIVINO - SANTOS
11/06 QUA 20H00 - DIVINO X PIRACICABA - BOLÃO

Equipe Sub 19 - Campeonato Paulista
23/04 QUA 19H00 - DIVINO X SÃO JOSÉ - BOLÃO
16/05 SEX 18H30 - BRADESCO X DIVINO - OSASCO
23/05 SEX 18H30 - DIVINO X S. CAETANO - BOLÃO
13/06 SEX 18H30 - AMERICANA X DIVINO - AMERICANA
27/06 SEX 18H00 - SESI GUARULHOS X DIVINO - GUARULHOS

Equipe Sub 17 - Campeonato Paulista
10/04 QUI 19H00 - DIVINO X U. BARBARENSE - DIVINO
16/04 QUA 18H30 - DIVINO X BRADESCO - BOLÃO
30/05 SEX 19H00 - BARRETOS X DIVINO - BARRETOS
03/06 TER 18H30 - AMERICANA X DIVINO - AMERICANA
05/06 QUI 18H00 - DIVINO X DNA - DIVINO
08/06 DOM 11H00 - DIVINO X TUPÃ - DIVINO

Equipe Sub 15 - Campeonato Paulista
12/04 SÁB 16H00 - VOTORANTIN X DIVINO - VOTORANTIN
16/04 QUA 17H00 - DIVINO X BRADESCO - BOLÃO
23/05 SEX 17H00 - DIVINO X C. OLÍMPICO - BOLÃO
28/05 QUA 17H00 - SANTO ANDRÉ X DIVINO - SANTO ANDRÉ
15/06 DOM 15H00 - SÃO BERNARDO X DIVINO - SÃO BERNARDO

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Leilão do Bem de Americana arrecada 2079 litros de leite

Leilão do Bem - Ricardo Molina entrega camisa da pivô Gil para Arina Hansen - Foto Oswaldinho Pellizoni

O 1º Leilão do Bem da ADCF Unimed Americana, realizado durante as duas últimas semanas, arrecadou 2079 litros de leite, que serão repassados ao Fundo Social de Solidariedade da Prefeitura de Americana. A entrega das camisas àqueles que fizeram o arremate aconteceu no intervalo do jogo Americana x São José, sexta-feira (4), no ginásio do Centro Cívico, pelas semifinais da Liga de Basquete Feminino (LBF).

Participaram da solenidade o presidente da Unimed, Dr.Émerson Assis; o diretor da Unimed, Dr.Vicente Von Glehn; o presidente da ADCF Unimed, Ricardo Molina Dias; o secretário de Esportes de Americana, Mario Antonucci, o presidente da VivoSabor Alimentação, Alexandre Brochi; o presidente da LBF, Márcio Cattaruzzi; e a ex-jogadora e diretora da LBF, Hortência Marcari.

Foram leiloadas 12 camisas, sendo nove douradas da Unimed Americana usadas pelas jogadoras Débora Costa, Ariadna Felipe, Ega Zakrzeski, Karla Costa, Izabella Sangali, Joice Rodrigues, Babi Honório, Gil Justino e Tássia Carcavalli na conquista do título do Campeonato Paulista de 2013; uma da seleção brasileira, da pivô Damiris Dantas; uma da seleção paraguaia, da lateral Paola Ferrari; e a réplica da camisa da seleção brasileira que a ex-jogadora Hortência utilizou no título do Mundial de 1994.

Quem arrematou as camisas foram Associação de Kart Pé de Chumbo (Débora Costa - 396 litros), Jorge Guidolin (Ariadna Felipe - 180 litros), Sanderson Barbarini (Ega Zakrzeski - 95 litros), Nancy Martins Cabral da Costa (Karla Costa - 500 litros), Porto Seguro Imóveis (Izabella Sangalli - 200 litros), Paulo César Speretta (Joice Rodrigues - 60 litros), Vanessa Medule Peressim (Babi Honório - 80 litros), Arina Hansen (Gil Justino - 60 litros), Diego Diniz Delírio (Tássia Carcavalli - 200 litros), Milene Araújo (Damiris Dantas - 150 litros), Paulo Roberto Marciano (Paola Ferrari - 50 litros) e Mantovani Agropet (Hortência - 108 litros).

"Se tivéssemos arrecadado um único litro de leite, já valeria a pena. Com mais de dois mil litros arrecadados, imagina nossa felicidade... Acredito que a ideia foi bacana, pois conciliou a admiração das pessoas e das empresas pela nossa equipe de basquete e a ajuda ao próximo", disse Ricardo Molina.

“O basquete feminino de Americana é referência no cenário nacional não apenas por suas conquistas dentro de quadra, mas também por suas ações em prol da comunidade da cidade. Parabéns ao doutor Émerson e ao Molina pela iniciativa do Leilão do Bem. Nos sentimos honrados em participar”, falou Marcelo Marusso, presidente da Associação de Kart Pé de Chumbo.

domingo, 6 de abril de 2014

LBF: final definida e uma despedida

Dois jogos (um na noite de sexta, outro na manhã de sábado) confirmaram que a final da LBF será mesmo entre Sport e Americana, os dois melhores times da fase de classificação e um repeteco da decisão da temporada passada.

Olympics Day 7 Basketball sUMgmHKGlB1l Na série entre Americana e São José, mais uma vez Americana deu a impressão de ensaiar uma afirmação. Depois de se portar muito mal na primeira partida, que lhe foi entregue de bandeja por São José, o time deu uma respirada e esteve muito focado na defesa no jogo do Centro Cívico. O time vai a decisão contando com a boa fase de Damiris e Paola Ferrari e com a regularidade de Clarissa e Ariadna. A experiência e a disposição de Karla podem ser úteis nos confrontos. Por outro lado na armação, nem Babi nem Joice tem apresentado consistência, numa temporada que acentua a monotonia da primeira e a afobação da segunda. Vai ser a prova de fogo do retorno do veterano Vendramini.

No eliminado São José, acredito que haja o que se comemorar. O time mexeu bastante em seu elenco e ainda assim se manteve entre as principais forças do país. Formou um garrafão interessante com Plutín e Karina e começa a aquecer um núcleo de novidades com Cacá, Ramona e Fabi, como fizera no passado com Tainá, Tati e Paty. Como previsto, o time sentiu demais a ausência da americana Jasmine, que dava um refresco e aumentava o rendimento da veterana Cris, bem como diminuia a pressão sobre a irregularidade de Karen. Se o técnico Carlos Lima tem seus méritos no processo, é evidente que ele carece de evolução e aprendizado assim como seu núcleo mais jovem de comandadas. Na partida decisiva, mais uma vez seu comando foi frustrante, no estil0 “insisto-no-que-está-dando-errado” e nos tempos técnicos, a orientação é mais na linha “psicológica”, com a pérola: “Qual a nossa jogada mais fácil? Vamos fazer ela!”.

Na série entre Sport e Maranhão, foi vergonhosa a repetição dos problemas com o piso na quadra do Sport, que já estavam presentes na partida de estreia da Liga há mais de quatro meses (relembre aqui).Nadia_Colhado2

O Sport tenta o bi-campeonato apostando muito na boa fase de Nádia e na excelente americana Tiffany. A força elétrica de Érika às vezes entra no clima nacional de racionamento para só depois explodir. A fantástica Adrianinha entra nas finais distante das condições ideais. O lado fraco do campeão é o pouco envolvimento de seu bom banco (Fran, Tati, Iza, Gattei, Sandora e Alex tiveram uma temporada no geral pouco animadora). Assim como Carlos Lima, Dornelas tem seus méritos e suas fraquezas. Na partida final, ficou perdido com a novíssima marcação por zona de AC Barbosa… Deixou ainda Érika distaaante da cesta, numa repetição do que era visto com Alessandra em São José. Incômodas semelhanças…

No Maranhão, é incrível como o tempo parece deixar ainda mais evidentes os defeitos de um treinador. Antônio Carlos Barbosa foi novamente o mesmo. Sugou suas atletas titulares e deixou que o talento delas ressolvesse espontaneamente os confrontos. É o estilo: “Resolvam!”. E assim jogou o Maranhão toda a temporada. No dia de Iziane inspirada, bateu até o Sport. Em dia não inspirada, tomou taca de Ourinhos & Cia. Na partida final, só faltou jogar spray de pimenta nas pobres coitadas Jannuary (38’ de calor e escorregões), Kelly (37’), Iziane e Roneeka (36"’, cada). No quarto final, nenhuma delas seria capaz de responder nem sua data de nascimento. E o aproveitamento de pontos de três delas foi medonho: Iziane segurou um 14/45 a duras penas, mas Roneeka (2/30) e Kelly (2/21) naufragaram. Novamente uma jogadora talentosa foi ignorada pelo treinador. Dessa vez, Ines! E o banco –mais uma vez – não estava envolvido em nada. Algumas alcançaram o auge da má forma física. As outras apenas não jogaram mesmo.

Além da definição dos times finalistas, há ainda uma despedida anunciada.

cris1 A armadora Cristina Carvalho, a Cris, anunciou em uma rede social que está deixando as quadras. Cris, além de bela e inteligente, foi uma excelente atleta. Ótima ala surgida nos auréos tempos de Piracicaba com Maria Helena Cardoso, Cris teve a carreira limitada por uma série de contusões que a impediram de dar o salto que naturalmente seu talento permitiria. Ainda assim, conseguiu se reinventar. Assumiu a posição de armadora, teve bons momentos aqui no país e depois construiu uma carreira respeitosa na Espanha. Há dois anos voltou ao Brasil em São José e levou o jovem time a uma impressionante evolução. Aos 36 anos, a última temporada já foi dura e era visível o esforço dela e de seus joelhos a cada jogo. O blog deixa aqui um abraço para Cris e deseja sucesso em suas novas caminhadas.

LBF divulga tabela completa do playoff – final

O departamento técnico da Liga de Basquete Feminino (LBF) divulgou, neste sábado (05 de abril), a tabela completa da série melhor-de-três do playoff – final, entre Sport Recife e Americana, que apontará o grande campeão da temporada 2013/14.

O primeiro confronto acontece no dia 12 de abril (sábado), às 12h00 (de Brasília), no ginásio Municipal Centro Cívico, na cidade de Americana (SP). O segundo está agendado para o dia 19 de abril (sábado), às 13h00 (de Brasília), no ginásio da Ilha do Retiro, em Recife (PE). O terceiro jogo, se necessário, ocorre no dia 21 de abril (segunda-feira), às 21h00 (de Brasília), também com mando do Sport Recife, que realizou uma campanha melhor na etapa inicial da competição.

De acordo com o regulamento, o time que primeiro totalizar duas vitórias garante o título da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14. Os canais SporTV transmitirão ao vivo todas as partidas desta série decisiva.

sábado, 5 de abril de 2014

Sport Recife vence Maranhão e é o segundo finalista da LBF

Sport_Maranhão_LBF_Semifinal



O Sport Recife garantiu presença na grande final da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 ao derrotar o Maranhão Basquete, neste sábado (05 de abril), por 57 a 48 (40 a 46 no primeiro tempo), em jogo realizado no ginásio Marcelino Lopes (Ilha do Retiro), em Recife (PE), válido pela segunda rodada da série melhor-de-três do playoff – semifinal. Com a este resultado, o time comandado pelo técnico Roberto Dornelas fechou esta disputa com duas vitórias e nenhuma derrota.

O Sport Recife, que luta pelo bicampeonato, começou bem a partida, apoiado pela torcida que compareceu em excelente número, com boa presença da lateral Palmira Marçal, mas o Maranhão Basquete foi crescendo gradativamente e, graças à variação defensiva que dificultou a vida do adversário, conseguiu a virada, com destaque para o bom trabalho da armadora norte-americana Briann January (13 a 16).

O segundo quarto foi marcado pelos erros, provocado pelas precipitações ofensivas, com as defesas levando vantagem sobre os ataques. Na parte derradeira do período, o time pernambucano conseguiu desgarrar, com a ala Palmira Marçal aparecendo bem nos tiros de média e longa distância (10 a 07).

Na volta do intervalo, o time maranhense entrou muito bem e logo aumentou a vantagem para 10 pontos, com ótimo desempenho ofensivo da lateral Iziane Castro. Em seguida, com a força do seu torcedor, a equipe rubro-negra contou com boa performance da lateral norte-americana Tiffany Hayes para igualar as ações. No final do período, entretanto, o Maranhão Basquete voltou a crescer e fechou na frente, com a Briann January rendendo muito bem (17 a 23).

No quarto final, a partida mudou radicalmente, com o Sport Recife crescendo bastante e o Maranhão Basquete caindo de produção. Quando o placar apontava 8min15 para o final, através de uma bola certeira de três pontos de Tiffany Hayes, o time da casa passou a frente e levou o seu participativo torcedor ao delírio. Na sequencia, o time de Roberto Dornelas manteve o ritmo e abriu vantagem, com boa presença da dupla de pivôs Nádia Colhado e Erika de Souza (17 a 02).

Os principais nomes da partida foram a norte-americana Tiffany Hayes (19 pontos e 08 rebotes), Palmira Marçal (12 pontos), Nádia Colhado (09 pontos, 13 rebotes e 01 assistência) e Erika de Souza (08 pontos e 10 rebotes), pelo time pernambucano; a norte-americana Briann January (20 pontos e 01 assistência), Iziane Castro (14 pontos, 07 rebotes e 01 assistência) e a sérvia Inês Ajanovic (08 pontos), em favor da agremiação maranhense.

“Sabíamos que seria um jogo muito difícil, com o Maranhão buscando a vitória, mas contando com a força desta torcida maravilhosa do Sport Recife, seria muito difícil perdermos essa partida em nosso ginásio. Agora, é descansar um pouco e, na sequencia, já focar a série final contra o Americana, que também será muito dura”, comenta a pivô Erika de Souza, do Sport Recife.

“Este foi um jogo bastante disputado, com as duas equipes errando e levou vantagem a equipe que tem o melhor plantel, que vem trabalhando muito bem. Nós fizemos um bom campeonato, conseguindo um rendimento favorável na maioria dos jogos”, analisa o técnico Antônio Carlos Barbosa, do Maranhão Basquete.

O primeiro jogo da série melhor-de-três do playoff – final entre Sport Recife e Americana, que já havia conquistado a vaga ao eliminar o São José/Colinas Shopping na outra série semifinal, será no dia 12 de abril (sábado), às 12h00 (de Brasília), no ginásio Municipal Centro Cívico, em Americana (SP), com transmissão ao vivo pelos canais SporTV

Fonte: LBF

Americana vence São José e chega à final da LBF



Americana_SJose_LBF_Semifinal

O Americana garantiu classificação a grande final da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 ao derrotar o São José/Colinas Shopping, nesta sexta-feira (04 de abril), por 76 a 48 (30 a 25 no primeiro tempo), em jogo que abriu a segunda rodada da série melhor-de-três do playoff – semifinal, disputada no ginásio Municipal Centro Cívico, na cidade de Americana (SP). Com este resultado, o time comandado pelo técnico Antônio Carlos Vendramini fechou a disputa com duas vitórias e nenhuma derrota.

O primeiro quarto começou equilibrado, com as duas equipes se alternando no comando do marcador. O time da casa levando ligeira vantagem (14 a 13), com boas performances da pivô Damiris do Amaral, pelo Americana, e a pivô cubana Plutin Tizon, em favor do São José/Colinas Shopping.

No período seguinte, com uma defesa mais apertada e, mesmo com algumas precipitações ofensivas, o time comandado pelo técnico Antônio Carlos Vendramini desgarrou um pouco, com boas presenças da armadora cubana Ariadna Felipe e da lateral paraguaia Paola Ferrari. Na parte final do quarto, entretanto, o representante de São José dos Campos melhorou e baixou a diferença, que chegou a dez para cinco pontos, com a ala Karen Gustavo aparecendo bem (16 a 12).

Na volta do intervalo, o Americana conseguiu um rendimento muito bom, marcando com eficiência e atacando com tranquilidade, enquanto o São José/Colinas Shopping caiu bastante de produção. Com esse panorama, a diferença subiu para 23 pontos (28 a 18), com a pivô Clarissa dos Santos, do time da casa, crescendo.

No quarto final, com os dois técnicos mexendo bastante nos seus elencos, o jogo ficou equilibrado, com o Americana garantindo vaga na decisão pelo terceiro ano consecutivo (18 a 13).

Os principais nomes da partida foram a paraguaia Paola Ferrari (19 pontos), Clarissa dos Santos (13 pontos, 13 rebotes e 04 assistências – double-double), Damiris do Amaral (12 pontos e 03 assistências) e a cubana Ariadna Felipe (11 pontos, 06 rebotes e 04 assistências), todas pelo time da casa; Isabela Ramona (08 pontos), Karina Jacob (08 pontos, 12 rebotes e 02 assistências), Karen Rocha (08 pontos, 02 rebotes e 04 assistências) e a cubana Plutin Tizon (08 pontos e 05 assistências), em favor do visitante.

“Voltamos a jogar com mais desenvoltura, já que antes estávamos muito presos na parte ofensiva. A defesa foi boa e eficiente durante toda a partida”, comenta o técnico Antônio Carlos Vendramini, do Americana.

“O Americana fez por merecer, pois é uma grande equipe e realizou um jogo muito bom. O nosso time, que tem uma mescla de jogadoras jovens e experientes, fez uma excelente campanha, figurando entre os quatro melhores da competição”, analisa o técnico Carlos Lima, do São José/Colinas Shopping.

O presidente da Liga de Basquete Feminino (LBF), Márcio Cattaruzzi, e a diretora executiva, Hortência Marcari, estiveram no ginásio para acompanhar esta partida semifinal.

Fonte; LBF

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Americana e São José abrem a segunda rodada da semifinal da LBF

Americana_SJose_LBF

A segunda rodada da série melhor-de-três do playoff – semifinal da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 será aberta nesta sexta-feira (04 de abril), às 21h00 (de Brasília), com a partida entre o Americana e o São José/Colinas Shopping, no ginásio Municipal Centro Cívico, na cidade de Americana (SP), com transmissão ao vivo pelo SporTV3.

O time da casa, comandado pelo técnico Antônio Carlos Vendramini, garante vaga na decisão com outro resultado positivo, visto que venceu o confronto de abertura da série, mesmo atuando em São José dos Campos (SP), por 56 a 55, com muita emoção. “Em São José dos Campos, o time sentiu a falta de ritmo de jogo e, agora, a expectativa é de uma partida bem melhor. Com o apoio da torcida, vamos lutar com todas as forças para garantir a classificação à decisão”, disse Vendramini.

Já para a equipe visitante, dirigida pelo técnico Carlos Lima, só a vitória interessa, pois empataria a disputa, forçando a realização do terceiro e decisivo confronto. “Com certeza, será um jogo muito difícil, precisamos minimizar os nossos erros e tentar controlar as ações ofensivas do Americana, que tem muita qualidade. Para que isso ocorra, precisamos acreditar e jogar com muita disposição”, relata o treinador joseense.

“A nossa expectativa é jogar melhor, com a correção dos erros apresentados no jogo de abertura da série, quando poderíamos ter vencido”, acrescenta a pivô cubana Plutin Tizon, um dos destaques do São José/Colinas Shopping na competição.

O terceiro jogo da série, se necessário, será disputado no domingo (06 de abril), às 19h00 (de Brasília), novamente em Americana (SP).
Fonte: LBF

Equipe de Erika na WNBA contrata a melhor armadora da Europa




O Atlanta Dream anunciou hoje a contratação da armadora francesa Céline Dumerc.

A atleta de 31 anos de idade é a capitã da seleção da França e liderou sua equipe na conquista da medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, ano em que ela foi eleita a melhor jogadora da Europa pela FIBA.

Dumerc teve médias de 14,3 pontos e 3,4 assistências durante os Jogos Olímpicos de 2012, convertando 15 de 31 arremessos (48,4 por cento) de três pontos. Após sua performance olímpica, o treinador da seleção dos Estados Unidos, Geno Auriemma declarou que Dumerc foi "a jogador mais importante e  mais impactante do torneio."

A equipe do Atlanta Dream sempre careceu de uma armadora capaz de comandar a equipe e controlar o excesso de individualismo das alas da equipe, com a chegada de Céline Dumerc a equipe finalmente conseguiu alguém com esse perfil.

Após chegar as finais da WNBA por dois anos seguidos e perder a série final por 3x0, finalmente a equipe de Atlanta entendeu que era necessário resolver esse problema e chega ainda mais forte para a temporada 2014.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Damiris é contratada pelo Minnesota Lynx



A equipe do Minnesota Lynx anunciou hoje a contratação da pivô brasileira Damiris Dantas. 

"Estamos ansiosos para ter Damiris no training camp esse ano", disse o vice-presidente Executivo do Lynx, Roger Griffith. "Damiris tem feito a diferença no Brasil e suas realizações para uma atleta tão jovem  são impressionantes." Damiris tem 21 anos e originalmente foi selecionada pelo Lynx na primeira rodada (12 ª posição) do draft de 2012. A pivô de 1,92m joga atualmente pelo Americana no Campeonato Brasileiro, onde participou de 15 partidas, com média de 12,1 pontos e 6,5 rebotes por jogo.

Antes de ser draftada pelo Lynx em 2012, Damiris ajudou a seleção brasileira a ganhar sua quinta medalha de ouro na Copa América de 2011, com média de 10,2 pontos e 5,8 rebotes por jogo. Damiris também levou o Brasil a uma medalha de bronze, a primeira medalha do país no Campeonato Mundial Sub-19, com médias de 20,0 pontos e 12,6 rebotes por jogo, que lhe valeram o prêmio de MVP do torneio. Além disso, ela ajudou o Brasil a ganhar uma medalha de bronze na Copa América de 2013, com média de 10,7 pontos, 7,3 rebotes e 1,7 assistências por jogo. Ela também representou o Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, com média de 4,0 pontos e 4,8 rebotes por jogo.

O Lynx vai começar sua 16.ª temporada na WNBA em Washington no dia 16 de Maio. A estreia em casa  será no dia 18 de maio contra o Connecticut Sun, que contará com a cerimônia  da entrega do anel pelo título de campeão de 2013 na WNBA.

Fonte: WNBA

São José/Colinas Shopping e Maranhão Basquete acreditam na recuperação na série semifinal da LBF – 2013/14

Derrotados na primeira rodada do playoff – semifinal da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14, o São José/Colinas Shopping e o Maranhão Basquete acreditam na recuperação, mesmo jogando a sequencia da série melhor-de-três fora de casa. Na jornada de abertura, o Sport Recife passou pelo representante maranhense, 67 a 61, enquanto que o Americana suplantou ao time de São José dos Campos, 56 a 55, ambos atuando fora de seus domínios.

O técnico Carlos Lima (foto) sabe que não será uma tarefa fácil derrotar o Americana em seu ginásio, mas crê e vem transmitindo essa confiança ao elenco. “Com certeza, será um jogo muito difícil, precisamos minimizar os nossos erros e tentar controlar as ações ofensivas do Americana, que tem muita qualidade. Para que isso ocorra, precisamos acreditar e jogar com muita disposição”, comenta o treinador do São José/Colinas Shopping, que poderá contar com sua força máxima.

Já o experiente Antônio Carlos Barbosa não quer a sua equipe oscilando ao longo do jogo. “O time está confiante, ciente que pode reverter à desvantagem, já que é uma série marcada pelo equilíbrio, onde tudo pode acontecer. Não podemos ser tão irregulares, como ocorreu no terceiro quarto. Mas, é preciso lembrar que o primeiro quarto do Sport Recife foi perfeito, pois é uma grande equipe e temos de reconhecer isso”, relata o treinador do Maranhão Basquete, que não sabe se poderá contar com a pivô Mamá, que está em tratamento intensivo por conta de um estiramento.

A segunda rodada da série melhor-de-três do playoff – semifinal da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 será aberta na sexta-feira (04 de abril), às 21h00 (de Brasília), com a partida entre Americana e São José/Colinas Shopping, na cidade de Americana (SP). O complemento ocorre no sábado (05 de abril), às 10h00 (de Brasília), em Recife (PE), com o duelo envolvendo Sport Recife e Maranhão Basquete. Os dois jogos terão transmissão ao vivo pelos canais SporTV.

De acordo com o regulamento, o Americana e o Sport Recife se garantem na decisão com mais um resultado positivo. O São José/Colinas Shopping e o Maranhão Basquete precisam da vitória para igualar a série e forçar a realização do terceiro e decisivo confronto.

Fonte: LBF

terça-feira, 1 de abril de 2014

Basquete Feminino de Araraquara de volta às quadras

892480_451414414972027_1949096424_o

O basquete feminino de Araraquara confirmou a participação da equipe na Liga ARBRP após um ano sem disputar a competição, a equipe faz sua primeira partida na competição Adulto Feminino no próximo domingo dia 6/4 as 11:00 horas, será na cidade de Catanduva contra a equipe da casa, a equipe de Araraquara apesar do pouco tempo de treino acredita que poderá fazer um bom papel contra uma equipe que tem tradição no basquete nacional. A equipe conta somente com meninas da casa e que representam a cidade nos últimos anos nos jogos regionais, são meninas com grande potencial e vasta experiência na modalidade, todas dividem os horários de treino com estudos e trabalhos.


Campeonato Adulto Feminino Liga ARBRP

O campeonato contará com oito equipes (Araraquara, Franca, Jaboticabal, Ribeirão Preto, Avaré, Marilia, Jaú e Catanduva), será realizado em turno e returno e os quatro melhores classificados disputam playoffs semifinal e final. Além da Liga a equipe representará a cidade nos Jogos Regionais e Jogos Abertos do Interior.


Troca de comando

Roseli - André
O técnico André Carrascoza assume a equipe e será auxiliado por Roseli Gustavo, ambos já pertenciam a comissão técnica da equipe nos últimos anos e assumem o comando da equipe após o antecessor Gilberto Paganini que fez ótimo trabalho nos últimos cinco anos decidir se dedicar exclusivamente as equipes Sesi Araraquara. O trio que comandou as equipes Sesi Fundesport nos últimos anos recheou de conquistas o basquetebol araraquarense  e revelou vários atletas nos últimos cinco anos em competições regionais e estaduais. Os técnicos André e Roseli neste ano deixam o trabalho com as equipes Sesi e a partir de agora trabalham somente na equipe adulta.
Futuro
A comissão técnica da equipe adulta espera que com a aprovação conseguida do "Projeto Roseli de Basquete" que é coordenado por Roseli Gustavo  Gilberto Paganini, pela lei de incentivo ao esporte, apareçam mais meninas reveladas para as equipes de base da cidade e equipe adulta futuramente. O projeto que existe a quatro anos funciona em vários bairros da cidade e possui aproximadamente 200 meninas praticando e aprendendo basquetebol na cidade.
Apoio
A equipe que nos últimos anos é totalmente gerida e subsidiada pela Fundesport de Araraquara e procura parceiros para realizar todas suas atividades no ano de 2014,  está se reestruturando para que se torne mais competitiva para representar a cidade nos próximos anos. Foi criado um sistema de cotas para que empresários de Araraquara e Região possam se tornar parceiros da equipe em troca de espaço publicitário em uniformes, mídias e outros. As cotas são de valores relativamente baixos mas que suprem as despesas da equipe. São três tipos de cotas (R$300,00 - R$500,00 - R$1000,00), cada um corresponde a um respectivo espaço de parceira. A primeira empresa a entrar como parceira da equipe é a Academia Infinity Fitness que cederá espaço para treinamentos físicos da equipe. Caso outras empresas  tenham interesse em se tornarem parceiras do time, podem entrar em contato pela página do Basquete Feminino Araraquara no Facebook no seguinte Link -https://www.facebook.com/bfararaquara ou com o técnico André Carrascoza pelo telefone (16)98122-0957.

Maranhão Basquete registra melhor público da LBF – 2013/14

Dono da melhor média de público das últimas duas temporadas da Liga de Basquete Feminino (LBF), o Maranhão Basquete continua sendo a equipe do basquete nacional que mais leva torcedores aos ginásios. Em seu último compromisso na LBF – 2013/14, no primeiro jogo da semifinal contra o Sport Recife, o MB levou 5.836 torcedores ao ginásio Castelinho, mais que o dobro da média da equipe nesta temporada. Para se ter uma ideia da força do torcedor maranhense, o público do jogo entre Maranhão Basquete e Sport foi o melhor registrado nesta edição da LBF.

A festa nas arquibancadas do Castelinho foi impressionante. O torcedor maranhense participou intensamente da partida vibrando a cada cesta do MB e pressionando o time pernambucano a todo instante. Apesar do excelente público no ginásio, o Maranhão Basquete não conseguiu se impor dentro de quadra e acabou derrotado por 67 a 61.

A derrota em casa foi apenas a segunda do time maranhense nesta temporada como mandante. No entanto, atrapalhou os planos da equipe que precisará vencer o Sport Recife no sábado (05 de abril) para ainda sonhar com a terceira e decisiva partida da fase semifinal. Caso vença os dois compromissos em Recife, o Maranhão Basquete chegará à inédita decisão na LBF.

“Infelizmente não pudemos retribuir com uma vitória o carinho e o apoio desta maravilhosa torcida maranhense. Embora o perder ou ganhar faz parte do jogo, principalmente quando duas equipes deste nível se enfrentam, foi uma derrota com dignidade, com luta, suor até os segundos finais. O sonho ainda não acabou”, destacou o técnico do MB, Antônio Carlos Barbosa.

Público em São Luís
O Maranhão Basquete possui a melhor média de público da LBF. No total, 23.615 torcedores já estiveram no ginásio Castelinho para apoiar o time maranhense. Este número representa uma média 2.623 torcedores por jogo. Somente nas duas últimas partidas em São Luís, foi registrado um total de 9.676 torcedores.

Nádia Colhado, do Sport Recife, recebe convite de equipe da WNBA

A pivô Nádia Colhado (foto), do Sport Recife, está com um pé na próxima edição da WNBA (versão feminina da Liga Profissional Norte-americana). Uma das jogadoras mais regulares do Leão na Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 foi convidada para participar do training camp do Atlanta Dream, atual vice-campeão da competição. A rubro-negra foi chamada após a visita do técnico do time norte-americano, Michael Cooper, à Ilha do Retiro, ainda na primeira fase da LBF. O ex-jogador do LA Lakeres ficou impressionado com o desempenho da jogadora e decidiu chamá-la para o período de teste, onde ele reúne os possíveis reforços da equipe em 15 dias de treinamento. Após o período, ele escolhe quem permanece no grupo.

Nádia recebeu a confirmação do convite no sábado (29 de março), logo após a vitória contra o Maranhão Basquete, em São Luís (MA), na primeira partida da série melhor-de-três do playoff – semifinal. Feliz com a possibilidade de ser mais uma brasileira na WNBA, a pivô comemorou bastante a informação. “Toda atleta quer disputar uma WNBA, ainda mais por uma equipe forte e de qualidade como o Atlanta. Acredito que esta está sendo uma excelente temporada para mim, cresci muito. Isso faz a diferença. O Sport foi um clube que me deu esta oportunidade e consegui aproveitar”, afirma.

Caso consiga uma vaga no Dream, Nádia vai jogar ao lado de duas jogadoras do atual elenco rubro-negro, a norte-americana Tiffany Hayes e a pivô brasileira Érika de Souza. “Quando coloquei as duas (Nádia e Érika) para jogar juntas sabia que Nádia cresceria de rendimento. Tanto ela quanto a equipe. Muita gente me criticou dizendo que ela e Érika não poderiam jogar juntas. Mostrei que podiam e agora elas podem formar o garrafão da vice-campeã da WNBA”, declara o técnico Roberto Dornelas.

Enquanto não viaja para os Estados Unidos, Nádia mantém o foco no título da LBF. “Quero ser campeã. Por isso meu foco é totalmente o Sport. Temos um jogo dificílimo contra o Maranhão, sábado, e precisamos entrar 100% focadas na partida”, finaliza a pivô.

Fonte: LBF

Sistema de disputa do Mundial da Turquia


Grupos

“A” – Sede: Ancara 
Brasil, Espanha, Japão e República Tcheca

“B” – Sede: Ancara 
Canadá, França, Moçambique e Turquia 

“C” – Sede: Istambul
Austrália, Bielorrússia, Coréia e Cuba 

“D” – Sede: Istambul 
Angola, China, Estados Unidos e Sérvia



Fase Preliminar:

As 16 (dezesseis) equipes participantes serão divididas em 4 (quatro) grupos (A, B, C, D) de 4 (quatro) equipes cada. Cada equipe vai jogar com todas as outras equipes em seu próprio grupo (total de 3 jogos para cada equipe).

A classificação final de cada grupo será estabelecido após a Fase Preliminar da seguinte forma: 
Grupo A: A1, A2, A3, A4 
Grupo B: B1, B2, B3, B4 
Grupo C: C1, C2, C3, C4 
Grupo D: D1 , D2, D3, D4

Um total de 24 jogos serão disputados na fase preliminar. 

As equipes colocadas em 1 º de cada grupo qualificam-se diretamente para as quartas de final. 

As equipes colocadas em 2 º e 3 º de cada grupo qualificam-se para a Fase Eliminatória

Fase Eliminatória

As 8 (oito) equipes colocadas em 2 º e 3 º de cada grupo na Fase Preliminar jogam partidas de eliminação direta da seguinte forma: 

Jogo 25: A2 x B3 
Jogo 26: B2 x A3 
Jogo 27: C2 x D3 
Jogo 28: D2 x C3

Os vencedores se qualificam para as quartas de final, os perdedores voltam para casa.

Quartas de final

As 8 (oito) equipes classificadas diretamente na Fase Preliminar e na Fase Eliminatória jogam entre si da seguinte forma: 

Jogo 29: A1 x Vencedor 27
Jogo 30: B1 x Vencedor 28
Jogo 31: C1 x Vencedor 25
Jogo 32: D1 x Vencedor 26

Os 4 (quatro) vencedores jogarão as Semifinais. Os 4 (quatro) perdedores jogarão pelo quinta ao oitavo lugar.

Semifinais

Jogo 33: Perdedor do jogo 29 x Perdedor do jogo 30 (5-8) 
Jogo 34: Perdedor do jogo 31 x Perdedor do jogo 32 (5-8) 
Jogo 35: Vencedor do jogo 29 x Vencedor do jogo 30 (1-4) 
Jogo 36: Vencedor do jogo 31 x Vencedor do jogo 32 (1-4)

Finais

Jogo 37: Perdedor do jogo 33 x Perdedor do jogo 34 (7-8) 
Jogo 38: Vencedor do jogo 33 x Vencedor do jogo 34 (5-6) 
Jogo 39: Perdedor do jogo 35 x Perdedor do jogo 36 (3-4) 
Jogo 40: Vencedor do jogo 35 x Vencedor do jogo 36 (1 -2)

Fonte: FIBA

Zanon completa um ano no comando da seleção feminina de basquete



Quando o técnico Luiz Augusto Zanon iniciou suas atividades no comando da Seleção Brasileira Adulta Feminina, no dia 28 de março de 2013, teve início um trabalho de renovação da equipe nacional, com a busca de novas atletas selecionáveis. 

Um ano depois, Zanon comemora o resultado desse processo e projeta a volta do Brasil entre as melhores seleções do mundo nos próximos anos.

“É um orgulho e uma honra poder trabalhar com a Seleção Brasileira e contribuir com o desenvolvimento do basquete feminino. Nesse primeiro ano de trabalho mantivemos a hegemonia do Brasil na América do Sul, com a conquista do 24º título invicto, e garantimos a décima sexta participação do país no Mundial, com a medalha de bronze na Copa América”, comentou Zanon.


Mas o técnico faz questão de destacar o trabalho de renovação na Seleção Brasileira dentro do planejamento estabelecido com o Departamento Técnico da CBB até os Jogos Rio 2016.

“Foi uma decisão arriscada, mas necessária. Em um ano formamos uma nova equipe, com novas jogadoras que até então não figuravam entre as atletas selecionáveis e resgatamos outras atletas. Posso garantir que nos próximos anos vamos ter uma geração capaz de representar o Brasil em todas as competições e brigar pelas primeiras colocações”, afirma. “Vamos continuar buscando mais jogadoras para a seleção, sempre dando mais experiência internacional, visando o crescimento delas no cenário mundial”, completa.

Copa do Mundo da Turquia

A Seleção Brasileira está no grupo “A” da Copa do Mundo da Turquia, com sede em Ancara, e terá como adversários na primeira fase: a República Tcheca (27), Espanha (28) e Japão (30). Nas oitavas de final, o Brasil poderá enfrentar um dos quatro primeiros colocados na chave “B”: Canadá, França, Moçambique ou Turquia. O grupo “C” é formado por Austrália, Cuba, Bielorrússia e Coréia. E no “D” estão Angola, China, Estados Unidos (atual campeão olímpico e mundial) e Sérvia.

Forma de Disputa

Na primeira fase, as 16 seleções jogam entre si, em turno único, nos seus respectivos grupos. A primeira colocada de cada chave está automaticamente classificada para as quartas de final, enquanto as equipes em segundo e terceiro lugares disputam a segunda fase nos seguintes cruzamentos eliminatórios: A2 x B3, B2 x C3, C2 x D4 e D3 x C4. Os vencedores da segunda fase jogam nas quartas de final com as seleções classificadas em primeiro lugar nos grupos iniciais. Os ganhadores disputam a semifinal e final.

Os grupos

“A” – Sede: Ancara 
Brasil, Espanha, Japão e República Tcheca

“B” – Sede: Ancara 
Canadá, França, Moçambique e Turquia 

“C” – Sede: Istambul
Austrália, Bielorrússia, Coréia e Cuba 

“D” – Sede: Istambul 
Angola, China, Estados Unidos e Sérvia

Tabela da 1ª Fase

1ª rodada – Dia 27 de setembro

“A”: Brasil x República Tcheca e Japão x Espanha
“B”: Moçambique x Canadá e Turquia x França
“C”: Coréia x Bielorrússia e Cuba x Austrália
“D”: Sérvia x Angola e China x Estados Unidos

2ª rodada – Dia 28 de setembro

“A”: Espanha x Brasil e República Tcheca x Japão
“B”: França x Moçambique e Canadá x Turquia
“C”: Austrália x Coréia e Bielorrússia x Cuba
“D”: Estados Unidos x Sérvia e Angola x China

3ª rodada – Dia 30 de setembro

“A”: Brasil x Japão e Espanha x República Tcheca
“B”: Moçambique x Turquia e França x Canadá
“C”: Coréia x Cuba e Austrália x Bielorrússia
“D”: Sérvia x China e Estados Unidos x Angola

Fonte: CBB


segunda-feira, 31 de março de 2014

Com emoção, Americana consegue a virada nos segundos finais e abre série semifinal da LBF – 2013/14 vencendo fora de casa

O Americana saiu na frente na série melhor-de-três do playoff – semifinal da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 ao derrotar o São José/Colinas Shopping, neste domingo (30 de março), por 56 a 55 (31 a 32 no primeiro tempo), em jogo eletrizante, realizado no ginásio da ADC General Motors, na cidade de São José dos Campos (SP), no complemento da primeira rodada.
O time da casa começou melhor o primeiro quarto e iniciou na frente, mas na sequencia acabou cometendo alguns erros, bem aproveitados pelo visitante, que passou na frente. Na parte final, o representante de São José dos Campos se recuperou e ficou tudo igual (17 a 17), com boas presenças das pivôs Plutin Tizon, pelo mandante, e Damiris do Amaral, em favor do visitante.
No período seguinte, o Americana começou melhor, roubando algumas bolas, mas o São José/Colinas Shopping foi crescendo gradativamente e igualou as ações, deixando a partida acirrada. E, esse foi o panorama até o final, com ligeira vantagem do grupo joseense (14 a 15).
Na volta do intervalo, o aspecto defensivo prevaleceu perante os ataques, provocando erros dos dois lados. Nos minutos finais, a equipe da casa conseguiu uma sensível melhora e fechou o período com uma vantagem de cinco pontos (09 a 13), com boa presença da jovem Isabela Ramona.
No quarto período, o Americana se recuperou e logo igualou o placar, deixando o final eletrizante. Nos últimos minutos, a emoção esteve presente, já que as duas equipes tiveram a chance de vencer e acabaram cometendo algumas falhas de finalização ou mesmo no último passe. Nos segundos derradeiros, entretanto, uma cesta da ala paraguaia Paola Ferrari, no contra-ataque, deu a vitória ao time visitante (16 a 10).
Os principais nomes da partida foram a cubana Plutin Tizon (14 pontos e 09 rebotes), Isabela Ramona (09 pontos, 04 rebotes e 03 assistências) e Karen Rocha (09 pontos e 04 assistências), pelo time do Vale do Paraíba; Damiris do Amaral (16 pontos e 04 rebotes), a cubana Ariadna Felipe (11 pontos, 08 rebotes e 02 assistências) e a paraguaia Paola Ferrari (10 pontos), em favor da equipe do Interior.
“Este foi um jogo de muitos erros, mas foi importante vencer, ainda mais conseguindo a virada nos segundos finais. Temos que manter o foco e continuar trabalhando forte, já que a continuidade desta série tende a ser muito dura”, comenta a pivô Damiris do Amaral, do Americana, que foi a cestinha do jogo.
“Sabíamos que seria uma partida muito difícil e que seria definido no final, nos detalhes mesmo. Tentamos converter a última bola, mas não conseguimos, cometendo um erro que acontece no basquete, e agora temos corrigir as falhas para buscar o empate na série, mesmo jogando na casa do adversário”, analisa a lateral Isabela Ramona, do São José/Colinas Shopping.
O segundo jogo, que pode ser o decisivo, acontece na sexta-feira (04 de abril), às 21h00 (de Brasília), na cidade de Americana (SP). Uma nova vitória coloca o Americana na decisão.
Fonte: LBF

sábado, 29 de março de 2014

Pivô Nádia recebe convite para ‘training camp’ na WNBA

Uma das atletas observadas pelo técnico Michael Cooper em visita ao Brasil no último mês, a pivô Nádia Colhado, parece ter agradado.

A brasileira teve participação confirmada no Training Camp do Altanta Dream, time de suas colegas de Sport Érika e Tiffany Hayes na WNBA.

São José e Americana iniciam luta por vaga na final da LBF – 2013/14 neste domingo

DSC_0830-745x496

A primeira rodada da série melhor-de-três do playoff – semifinal da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2013/14 será complementada neste domingo (30 de março), com a partida entre São José/Colinas Shopping e Americana, ás 18h30 (de Brasília), no ginásio da ADC General Motors, em São José dos Campos (SP), com transmissão ao vivo pelos canais SporTV.

Para chegar a esta semifinal, o time joseense, comandado pelo técnico Carlos Lima, concluiu sua participação na primeira fase na terceira colocação, somando 24 pontos, em 14 jogos disputados (10 vitórias e 04 derrotas). Em seguida, o São José/Colinas Shopping eliminou a AD Santo André no playoff – quartas-de-final com duas vitórias e nenhuma derrota.

“Nos últimos confrontos que tivemos contra o Americana, jogamos bem, de igual para igual durante cerca de 38 minutos, no entanto, uma pequena perda de instabilidade permitiu que o adversário assumisse o comando do marcador e vencesse. Mas, o que aconteceu nas outras fases  da competição passou; agora é um outro campeonato e temos que focar esta disputa semifinal, já que almejamos chegar a inédita decisão”, comenta Lima, acrescentando que a sua equipe tem que defender muito forte e jogar focado durante os 40 minutos, além de acreditar e atuar de maneira consistente.

O São José/Colinas Shopping não está contando com a norte-americana Jasmine James, que sofreu uma contusão ainda na primeira fase da LBF – 2013/14, e foi submetida a cirurgia.

Nos histórico recente de jogos contra o Americana, o São José/Colinas Shopping não obteve bons resultados: nas partidas da fase de classificação desta edição da LBF, foram duas derrotas. Na final do Campeonato Paulista Feminino – 2013, o título ficou com as adversárias.

Já o Americana, dirigido pelo experiente técnico Antônio Carlos Vendramini, fechou a sua participação na primeira fase com o segundo lugar, contabilizando 26 pontos, em 14 partidas realizadas (12 vitórias e 02 derrotas). Com este posicionamento, a equipe se qualificou diretamente a esta semifinal, sem precisar jogar a série do playoff – quartas-de-final.

“Estou otimista e confiante que temos condições de jogar um basquete de alto nível nesta semifinal”, relata Vendramini, que não poderá contar com a pivô Clarissa dos Santos, um dos grandes nomes do campeonato, que sofreu uma fratura na face nos treinamentos da semana.

“É um desfalque e tanto, afinal, a Clarissa é titular da equipe e uma das principais jogadoras do basquete brasileiro. Foi uma fatalidade. Agora, é torcer para que ela se recupere o mais rápido possível”, acrescenta o treinador do Americana, que confia na força do seu grupo. “Independente de quem vai entrar, eu confio na qualidade do grupo”, complementa Vendramini.

Na primeira fase foram dois confrontos entre estas duas equipes, com duas vitórias do Americana: 76 x 69, no turno, em São José dos Campos (SP), e 79 a 69, no returno, na cidade de Americana (SP).

Os demais jogos desta série melhor-de-três do playoff – semifinal estão agendadas para: 04 de abril (sexta-feira), às 21h00 (de Brasília), na cidade de Americana (SP), e, se necessário, no dia 06 de abril (domingo), às 18h00 (de Brasília), novamente em Americana (SP).

Destaques
A experiente Karla Costa, do Americana, é a líder no aproveitamento dos arremessos de dois pontos, com 71,15%. Já a pivô cubana Plutin Tizon, do São José/Colinas Shopping, é a terceira colocada, com 67,78%.

No aproveitamento dos arremessos de três pontos, a experiente pivô Êga Garvão, do Americana, é a líder, com 71,43%. A também pivô Karina Jacob, do São José/Colinas Shopping, aparece no terceiro lugar, com 46,15%.

Nas assistências, o time de Americana aparece com três jogadoras entre as cinco primeiras: Babi Honório, segunda colocada, com média de 3,5 por jogo; Joice Rodrigues, com 3,4; e Karla Costa, com 3,0 por partida.

A cubana Ariadna Felipe, do Americana, é a terceira colocada entre as cestinhas, com média de 15.0 pontos por jogo. Nos rebotes, Karina Jacob, da equipe joseense, aparece no quarto lugar, com média de 7,5 por partida.