sexta-feira, 15 de agosto de 2014

O caçula de última hora da LBF: Jaraguá do Sul

Técnico Julio Patricio (D) e dirigentes da equipe obtiveram sucesso em São Paulo (Foto: Frederico Batalha/LBF)

Liderada pelo técnico Júlio Patrício, treinador da seleção feminina sub-17, que disputou recentemente o Mundial da categoria, a equipe de Jaraguá do Sul foi a última a ter a presença confirmada na quinta edição da Liga de Basquete Feminino.

Às vésperas da reunião que definiu o número de participantes da LBF 5, o treinador apontou quais seriam seus três trunfos para convencer as outras dez equipes que já estavam confirmadas na competição, a aceitar a inclusão da equipe catarinense: 1. Sua amizade com Hortência; 2. O fato de ser técnico da seleção sub-17; 3. O interesse da equipe Mangueira participar da competição, o que faria com que o número de equipes subisse para doze.

Parece que mais uma vez a Mangueira não conseguiu reunir as condições necessárias para voltar à LBF. Uma pena que um clube tão emblemático, que revelou as duas melhores atletas brasileiras da atualidade, Erika e Clarissa, e jovens promissoras como Isabela Ramona e Thayná, não receba os incentivos que precisa para estar presente na competição nacional. Ter uma equipe do Rio de Janeiro, faltando tão pouco para os Jogos Olímpicos de 2016 seria também uma atração à parte.

Não sei se o Júlio Patrício ainda é o técnico da seleção sub-17, pois o ciclo dessa categoria terminou com o Mundial, mas parece que a amizade com Hortência foi o trunfo mais importante para essa confirmação de última hora.

Ciente de que precisa reforçar a equipe, ele afirma que terá 1 mês e meio para captar R$ 120 mil em patrocínios para viabilizar a transferência de algumas atletas que trabalharam com ele na seleção sub-17 e mais algumas "pinçadas" de clubes do interior de São Paulo.

Tal qual aconteceu no ano passado com Brasília, mais uma vez a LBF inverte a lógica e inscreve uma equipe na competição, sem que ela tenha um elenco profissional e nem mesmo os recursos financeiros necessários para realizar as contratações que precisam ser realizadas.

Uma competição que tem seus jogos transmitidos em rede nacional deveria ter um pouco mais de cuidado e critérios para confirmar seus participantes, pois qualidade é mais importante que quantidade quando se tem um "produto" exposto na televisão.

Sinceramente ficaria muito feliz se a base da seleção sub-17 realmente fosse para Jaraguá do Sul e principalmente se a base da seleção sub-19 fosse para a Mangueira trabalhar desde já com o treinador Guilherme Vos visando a preparação para o Mundial Juvenil de 2015.

Sem dúvida alguma seriam dois atrativos excepcionais para a quinta edição da LBF, mas a situação financeira de Americana e Ourinhos demonstram que não é nada simples conseguir recursos para manter uma equipe profissional de basquete feminino no Brasil.

De qualquer forma, boa sorte a todos e que tudo se confirme e dê muito certo para Jaraguá do Sul, aos demais integrantes e aspirantes da quinta edição da LBF.

13 comentários:

Giovane Schmauch disse...

Boa noite

Meu nome é Giovane Schmauch, Presidente da Associação Jaraguaense de Pais e Amigos do Basquete - Basquete Jaraguá.
Não sei de onde foram tiradas algumas informações escritas nessa matéria; primeiramente o Basquete em Jaraguá do Sul está muito além de algum nome, seja técnico, dirigente ou qualquer outro. Somos muito respeitados no Estado, com inúmeros títulos em todas categorias de base, então não foi amizade alguma que resultou na "aceitação" de todos os clubes, digo todos, na participação do evento de 2014.
Estamos com recursos definidos para iniciar os trabalhos, mas ainda estamos atrás de outros colaboradores para melhorar ainda mais o elenco, quem sabe até com atletas estrangeiras.
Se o intuito era denegrir a imagem de Jaraguá, infelizmente não conseguirão, aqui não temos mania de enganar ou ludibriar as pessoas.
BASQUETE JARAGUÁ será uma grata surpresa nesta edição da Liga. Fiquem tranquilos que iremos crescer a cada ano, este é apenas o primeiro. Daremos chance a muitas meninas que em outros clubes não teriam a minima chance.
Não esqueçam que cada novo clube que resolve investir, melhora mais a modalidade que sofre com perdas de outras equipes a cada ano.



Anônimo disse...

cada comentário que fazem.......tão difícil fazer basquete feminino no país aí ficam criticando os poucos valentes que já existem....deveriam retirar essa postagem

Anônimo disse...

o que o basquete brasileiro mais precisa nesse momento é de renovação... ótima iniciativa da cidade de Jaraguá

Anônimo disse...

Sr. Giovane Schmauch - Presidente da Associação Jaraguaense de Basquete Feminino, não o conhecemos, mais só pelo seu comentário que foi muito oportuno e sério, merece nosso respeito e torcida por JARAGUÁ, sou SÃO JOSÉ, mais o meu segundo time será JARAGUÁ! são pessoas e equipes com este perfil que nós devemos aplaudir, que DEUS os abençoe sempre! SUCESSO!!!

Anônimo disse...

Parabens Giovane pela iniciativa e seja bem vindo. O basquete feminino precisa de novas equipes para as meninas possan jogar e mostrar seu talentos.

Anônimo disse...

Meus parabéns ao time de Jaraguá pela iniciativa é disto que o basquete precisa, quanto mais time aparecer na liga mais campo para as atleta

Paulo Roberto disse...

Senhor Giovane,

Obrigado pelos esclarecimentos!

As fontes de informação para o post são duas matérias publicadas em veículos da sua cidade, Jaraguá do Sul, conforme os links divulgados.

Não existe crítica alguma ao projeto que é desenvolvido na cidade e nem mesmo a sua intenção de participar da LBF, que é algo legítimo para qualquer clube.

O que foi criticado é a falta de critérios dos dirigentes da LBF ao inverter a lógica de qualquer organização esportiva, confirmando a inscrição de um clube, antes da equipe de atletas que vai disputar a mesma tenha sido contratada e nem mesmo, segundo os sites divulgaram, os patrocinadores que vão possibilitar essas contratações tenham sido confirmados.

Conforme comentei, vou torcer para que tudo dê certo para Jaraguá do Sul, porque não estaria aqui escrevendo sobre basquete feminino se não gostasse desse esporte, mas experiências negativas anteriores deveriam servir de parâmetro para os dirigentes da LBF seguirem a lógica e não repetir os mesmos erros.

Que o senhor consiga confirmar seus patrocinadores, contratar as atletas, treinar a equipe e disputar uma ótima LBF nesse pouco tempo que falta para o início da competição.

Boa sorte!

Anônimo disse...

Não se sinta criticado Giovane, é apenas um ponto de vista. Parabéns pela iniciativa e que você e seu clube possa contratar várias atletas que estão sem espaço em São Paulo, como as armadoras Ana Flavia (ex-Ourinhos), Roberta (ex-Maranhão), Angela (ex-Blumenau), Ivana (ex-Venceslau). As alas Lais Tobias, Carol Nunes e Maila (ex-Rio Claro), Djane (Ex-Ourinhos), Gilmara do Amaral (ex-Araçatuba), Ana Carolina (ex-Americana). As pivôs Monica (ex-Osasco e Ourinhos), Mamá (ex-Americana), Geisa (ex-São José), Lidiane (ex-(Rio Claro), Milena (ex-Brasilia), Maria Carolina (ex-Americana). Como o senhor pode ver, tem um monte de atletas talentosas sem clube e quanto mais clubes forem formados, melhor para todos.

Anônimo disse...

Também sou de São José e fico grato de ver pessoas tentando semear trabalhos bons e duradouros.
Neste pais que no esporte brinca com a formação de nossos jovens.
As oportunidades são cada vez menores em vez de aumentar.
Obrigado Jaraguá do sul tenha certeza que estarei torcendo pelo sucesso do time e das meninas que jogaram ai.

Anônimo disse...

Polêmicas a parte, seria maravilhoso se a Mangueira entrasse e a LBF ficasse com 12 equipes, sendo cinco de fora de SP.

Anônimo disse...

Algumas atletas citadas estão em clubes que jogam o paulista A2 como Ribeirão Preto e Piracicaba. Pior são as atletas que jogavam em Lins e que por má administração vão ficar sem time no segundo semestre. Vale pensar em todas as meninas que vinham desenvolvendo um ótimo trabalho. Boa sorte Giovane e ao Jaraguá

Giovane Schmauch disse...

QUERIA AGRADECER AO APOIO DE TODOS.
Como não tínhamos a vaga na Liga assegurada, pois para muitos aqui isso era um sonho e pra outros utopia, temos muito trabalho pela frente.
Esse trabalho já existe e é excelente nas nossas categorias de base, mas os talentos iam se perdendo por falta de oportunidade.
Agora com a vaga na Liga vamos oportunizar as nossas meninas um futuro dentro do basquete.
Temos recursos assegurados pra contratação de atletas de fora que vão ajudar nesse processo ano após ano.
Pode levar um tempo mas podem ter certeza que veremos os talentos de Jaraguá do Sul brilharem nas quadras do Brasil e do mundo.
Quem ganha com isso?? as atletas e o Basquete Feminino do Brasil.

Giovane Schmauch - Presidente do Basquete Jaraguá

Ivan Bernardo disse...

Giovane , sou Técnico das equipes de base do basquete masculino de Itajaí , sou fã do trabalho que é realizado em cima das equipes de base masculina e feminino na cidade de jaraguá do sul ,um projeto forte e qualificado e que a anos vem sempre com bons resultados,quero desejar a vocês toda sorte e que essa equipe possa nos proporcionar grandes jogos e levar mais uma vez Santa catarina ao cenário nacional,capacidade Jaraguá do Sul tem de sobra,prova disso foi o futsal masculino um time fortíssimo no estado e no Brasil, agora chegou a vez do basquetebol feminino. Parabéns!!! ,e pode ter certeza que Santa catarina esta junto com vocês.