terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Zanon e o problema do discurso

“Deixei o comando de Americana porque não dá para conciliar as duas coisas. Neste momento teremos a necessidade de uma grande dedicação minha à seleção, pois teremos muitos campeonatos e quero fazer esse trabalho com excelência e desenvolver novos projetos.”

Zanon - 29 de maio de 2013

“(…)é uma excelente oportunidade profissional, mas só aceitei depois de conversar com o Vanderlei (…), já que o projeto olímpico Rio 2016 teve início no ano passado quando assumi o comando da equipe nacional. Vou continuar assistindo aos jogos da Liga Feminina em São José e acompanhando os jogos televisionados.”

Zannon - 21 de janeiro de 2014

14 comentários:

Só rindo! disse...

Se ao menos uma delas tivesse caído em primeiro de abril, né?

Hahahahaha!

Anônimo disse...

Palhaçada hein.
Que tal mudar de novo e colocar o Bassul de volta?
Foi o mais competente. Melhor assumir o erro (ter tirado ele para colocar o Colinas) e chamá-lo de volta.
Quando ele era o técnico, via sempre nos jogos. Ele sim é comprometido.

Anônimo disse...

Fato dos fatos: NEM MESMO PARA O TÉCNICO DA SELEÇÃO FEMININA, O FEMININO É A MENINA DOS OLHOS.

Anônimo disse...

é o fim para mim....vou deixar de gostar de basquete feminino....ACABOU

Carlos Edu disse...

Pra q essa tempestade em um copo D'água?

Ótimo q ele vá treinar a equipe do São José. Ele só irá crescer como treinador e contribuir ainda mais para seleção.

No vôlei. Bernadinho é treinador da seleção masculina e comanda um time feminino... qual problema nisso??

Anônimo disse...

Seja como for...fale o que falar.... TÁ FAZENDO MUITA FALTA NO AMERICANA!!!!!!

Anônimo disse...

Seja como for...fale o que falar.... TÁ FAZENDO MUITA FALTA NO AMERICANA!!!!!!

Anônimo disse...

Que horror, que moral esse Homem vai ter para comandar a seleção depois disso. Tudo isso é a cara da atual gestão do Basquete do Brasil.

Anônimo disse...

Por que pessimos, quem acompanha o basquete desde os auges tempos de glória de Paula, Hortência, Karina, Janteh, Marta dentre outros talentos que o CBB não teve competência de fazer a modalidade espandir.
Somente tinhamos os times de Paula X Hotência, se o pessoal tivesse usado o Mundial de 1994 e o vice-Olimpico, e conversar com a Adrianne Goodson(ala-usa jogava demais) a Jackie Nero (ala-pivo- usa jogava demais).
essas duas naturalizadas contando com a Karina ja naturalizada e Janeth teriamos no minimo 5 times de ponta.
Mas não adianta de viver de sonhos passados preciso ver essa jogadoras do presente Ronecca, Tiffany e Brianny podesse naturalizar poderiamos ter mais clubes.

Will do Basquete disse...

O basquetebol brasileiro é uma grande piada. Nem sombra do que já foi... Viva o Handebolllll.

Anônimo disse...

Mentira tem perna curta. Zanon saiu de Americana por outros motivos, mas prefere mentir, pois vivemos no Brasil, o país da hipocrisia.

Outra mentira é que é possível conciliar um trabalho com foco no basquete masculino e ao mesmo tempo se dedicar a seleção feminina.

O basquete feminino está abandonado e as coisas tendem a piorar cada vez mais.

Imagine como será a preparação para o Mundial? Péssima, com atletas como Erika e Damiris se apresentando uma semana antes da competição e o treinador mais preocupado com playoff do NBB.

Anônimo disse...

Desculpem, mas comparar a competência do vôlei com basquete é ser muito amador.
Meu esporte é o basquete, mas Zanon tem um ego maior que o mundo e ele foi sempre assim desde de quando era jogador, achão...
Zanon, só para lembrar,aqui na sua terra natal, estamos esperando sua parceria nos novos projetos, lembra...

heber souza disse...

Então né.... Faço o que eu falo, mas não faça o que eu faço.

Nosso basquete estão cheios de dirigentes e técnicos falastrões...

Na hora de mostra resultado mesmo....Não aparece nenhum....

PIADA....

Sérgio/RJ disse...

FALTA DE PERSONALIDADE....