segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Blumenau acerta retorno à Liga Nacional de basquete feminino

Quando conheci João Camargo Neto, técnico do basquete feminino de Blumenau, em 2013, ele estava passando o chapéu. Praticamente implorando por dinheiro, para falar a verdade, tentando viabilizar a participação na Liga Nacional daquele ano. Lembro-me do semblante dele um tanto quanto decepcionado, sabendo que no final das contas não conseguiria o que precisava e teria de ficar de fora da principal competição do país. 

Lá se vão três anos desde que o time teve que dar um passo para trás e recomeçar,confiando no trabalho de base — e mesmo assim conquistando títulos atrás de títulos — até a boa notícia que chegou no fim de setembro: o retorno à Liga estava confirmado.

A inscrição foi feita no último dia 23, mas a informação só foi divulgada nessa semana após uma reunião entre Camargo e o presidente da Federação Catarinense de Basketball (FCB) Oscar Archer. O encontro definiu pelos valores que serão repassados pela entidade que vai garantir base financeira para a equipeblumenauense

Os números não foram divulgados pela FCB, mas imagina-se que são consideráveis, já que cada clube precisa apresentar aos organizadores do campeonato um orçamento deR$ 500 mil — o mesmo que ocorre na Liga Ouro, segunda divisão do Novo Basquete Brasil (NBB), no caso do masculino. Camargo explicou que agora a busca é por “três ou quatro patrocínios pontuais” para fechar o valor exigido pela Liga.
— O que eu fiquei muito feliz é que mesmo com a dificuldade que o esporte e as empresas estão passando com a crise econômica, as pessoas não estão nos negando apoio. É isso que está me animando cada vez mais – conta Camargo.

A informação inicial é de que a competição será disputada por oito equipes, o que será confirmado em uma reunião do conselho técnico no início desse mês. A liga feminina é gerida pelo NBB e terá o televisionamento por parte do SporTV, o que ajuda na busca por recursos.

ELENCO

Dentro de quadra, a ideia é manter o elenco que busca o heptacampeonatocatarinense e contratar cinco atletas, fechando um grupo com, no mínimo 12 e no máximo 14 jogadoras. As negociações já estão encaminhadas e o treinador acredita que é possível formar uma equipe competitiva para buscar um algo mais na competição que deve começar no final de novembro — logo após os Jogos Abertos de Santa Catarina — e se estender até abril.

— Já temos um contrato prévio com algumas meninas e os negócios serão fechados no decorrer de outubro. Queremos trazer duas ou três jogadoras experientes que deem suporte para as mais jovens que precisarão buscar espaço — explica o treinador.

GINÁSIO

Poucas coisas estão definidas, já que a confirmação da participação na Liga mal saiu do forno, mas o local onde o time blumenauense jogará está confirmado: Galegão. Uma conversa entre João Camargo Neto e o presidente do Parque Vila Germânica,Ricardo Stodieck, selou a parceria entre o poder público e o time que, pelo menos durante os jogos do Nacional, deixará de atuar no Ginásio Nelson Busarello, no Vasto Verde.

SIGNIFICADO
Disputar novamente a principal competição do basquete feminino do país era um sonho das meninas de Blumenau que vêm participando apenas de campeonatos regionais e também uma questão de honra para aqueles que tomam frente ao esporte na cidade. Camargo não escondeu a emoção quando falou sobre essa volta à Liga:

— O basquete me deu tudo que tenho na vida e vou sempre buscar uma forma de retribuir isso, seja às meninas com quem trabalho hoje, seja aos colegas, seja ao público, tanto faz.

6 comentários:

Anônimo disse...

ótima noticia

Anônimo disse...

Que bom. Tomara que a Mangueira também participe.

Antonio Neto Vieira disse...

Que venham os próximos. Deus o livre de ter somente 6 equipes como no ano passado

Anônimo disse...

Uma pergunta.
Quantas equipes têm no paulista de vôlei feminino,quantas no handebol (que no ano passado nem foi realizado)quantas na super liga feminina de vôlei?Os ignorantes gostam de pegar no pé do basquete feminino.
Vou criar um blog igual esse para o vôlei e para o handebol.

MeninoBionico disse...

Em tempos de crise e depois do fiasco nas Olimpiadas do Rio, a criação de um time novo é ótima notícia! Espero que consiga o patrocinio.

Anônimo disse...

fico na esperanca de ver a MAngueira, Uberaba, Varginha e Montes Claros (MG), cidades que tem projetos de basquete feminine, entrarem tbm.