segunda-feira, 15 de agosto de 2016

‘Basquete está perdendo jovens altas para o vôlei’, diz Hortência

Link: aqui!

15 comentários:

Anônimo disse...

Que novidade! Com a situação atual do basquete brasileiro, sem um campeonato forte, sem investimento na base, sem ídolos, qual criança vai optar pelo esporte? Enquanto isso, o vôlei é só sucesso!

Anônimo disse...

A Hortência calada é uma poetisa. Devia brincar de Vaca Amarela, e ficar muda.

Anônimo disse...

Nossa, que novidade Hortência... Ninguém sabe disso...

Anônimo disse...

MENTIRA , MENTIRA MENTIRA Palavras de uma pessoa que NÃO SABE como estão os poucos times que ainda tem basquete feminino . São José dos Campos tem uma pivô de 1,98 de alt e 18 anos que arremessa de três pontos mais que precisa de um forte treinamento técnico pra evoluir mais seu jogo . Em montes Claros tem uma menina que inclusive ja é do Fabio Jardini com 1,97 m e 17 anos . Temos LATERAIS ALTAS e muito atleticas na equipe de São José tb . Kawani Firmino com 1,89 , Vitoria e MAira mais de 1,80 . A Hortência esta DESATUALIZADA !! Pede pra ela dar uma passada no ADC do Bradesco em Osasco e por ai vai . O que precisamos é de alguém COMPETENTE o suficiente para MAPEAR essas meninas e começar um trabalho sério TÉCNICO com elas . Só isso !!

Ramona, a Glam disse...

Vamos trocar o disco né hortencia??? Como se altura fosse tudo

Com relação às críticas sobre a estrutura do basquete todos concordam.

Anônimo disse...

Onde que Kawani tem 1,89?

O Brasil tem varias três com 1,83 ou 1,84.

O problema são as pivôs que tbm tem essa altura.

Anônimo disse...

Anonimo (a) das 19:49 coloca um óculos e vai em SJC antes de dar uma de SABIXONA aqui !!

Anônimo disse...

Há anos ela fala a mesma coisa.. e a partir dessse ano não será só pelo volei, mas pelo volei de praia, handebol e futebol.. todas vão preferir estes esportes que o basquete..

Caco Coutinho disse...

Na nossa seleção de vôlei há apenas duas com mais de 1,90m. Uma com 29 anos e outra com 31. Não é desculpa.

Caco

Anônimo disse...

Vitória mais de 1,80?? Kawanni com 1,89? Tem gente q precisa de óculos

Anônimo disse...

Não tem nada a ver com altura.

Precisamos mais do que tudo formar armadoras habilidosas com 1,70m, 1,75m e alas fortes e habilidosas com 1,80m, 1,85m.

De pivôs até que estamos bem, nossas alas e armadoras é que deixam a desejar.

E temos talentos na base, mas olha como são tratados. Olha o que fizeram com as meninas da seleção sub-16, um grupo que venceu a seleção dos Estados Unidos, foi para um Mundial praticamente sem treinar e ficou nas últimas colocações.

Mais dois exemplos: Nos últimos três sul-americanos sub-15, tivemos três atletas brasileiras MVP da competição. O que aconteceu com as duas que já chegaram na categoria adulta? Pararam de jogar.

Se não conseguimos lapidar, motivar e reter os talentos que temos, nem mesmo as MVPs das competições, imagine as outras.

O buraco é bem mais embaixo.

Anônimo disse...

Hortencia, vc teve a chance de fazer alguma coisa diferente quando foi diretora da CBB mas foi um fiasco. Voce com a bola na Mao é Uma Rainha, fora das quadras é Uma pessima gestora. Continua na globo fazendo politica pq pro basquete vc não acrescenta mais nada. Melhor coisa é ficar calada.

Anônimo disse...

HOTENCIA, DESCOBRIU A POLVORA, ELA SEMPRE SOUBE E NUNCA FEZ NADA PELO BASQUETE FEMININO, É FÁCIL FALAR, CRITICAR. MAIS ESTAVA LA NA COORDENAÇÃO DO CBBF, ajudou em que, agora dizer que estamos perdendo atletas para o vôlei, não mentiu, Só FALTOU FALAR A DIFERENÇA ENTRE O QUE ACONTECE ENTRE O BASQUETE E O VOLEI. ADMINISTRAÇÃO E SERIEDADE, essas são as palavras o resto e vergonha na cara de seus dirigente que não largam o osso.


Anônimo disse...

Preciso pedir para as minhas tias falarem nesse blog, porque as de São José dos Campos são presenças garantidas

Anônimo disse...

Vamos resumir pessoal.Se tivéssemos 20 pó cento da estrutura física e financeira de alguns esportes,garanto qua as jogadoras da base estariam bombando.Com relação ao Snr.Fabio Jardine só posso dar-lhe o título de CÂNCER DO BASQUETE FEMININO.