terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Depois de furar boicote, Clarissa é dispensada do Corinthians/Americana (globoesporte.com)

Uma das principais jogadoras do país, Clarissa foi dispensada pelo Corinthians/Americana após furar o boicote à seleção brasileira apoiado pelo seu clube.

A pivô, que jogou na temporada passada da WNBA pelo Chicago Sky, não poderá atuar por nenhum outro clube do Brasil até o fim da Liga de Basquete Feminino (LBF).



Leia a materia completa aqui

36 comentários:

Anônimo disse...

Esse é o dirigente bonzinho, que só quer ajudar a seleção brasileira...

Anônimo disse...

Aos poucos as pessoas vão mostrando o seu verdadeiro caráter. Alguém deveria orientar essa moça para acionar a justiça e punir esses anti-basquete. Esse grupo que está querendo aparecer mais que o esporte e tentar de maneira equivocada resolver a situação. O objetivo de melhorar é valido, mas a forma como estão conduzindo é digno de quem busca apenas aparecer e comandar colocando como técnico e comissão pessoas do grupinho de americana. Infeliz de quem faz parte acreditando que vai mudar.

Anônimo disse...

Vai trabalhar agora na cbb junto com os corruptos!!!! so que o dinheiro eles ja roubaram tudo não sobrou nada!!!!! traidora

Anônimo disse...

Basquete é time ninguém ganha ou perde sozinho.....

Anônimo disse...

Super bem intencionada a pessoa. Tão preocupada em garantir uma seleção brasileira forte, que impediu que sete das melhores atletas jogassem um torneio importante e vai fazer com que a melhor jogadora do Brasil fique inativa por quatro meses às vésperas da Olimpíada.

Pelos frutos conhecemos a árvore. Uma árvore boa não dá maus frutos.

Anônimo disse...

Que cara babaca. Só quer aparecer e causar polêmicas. O castigo dele será Americana fora da final da LBF, porque sem Clarissa, já era. Quem ganha com as atitudes desse cara? Isso não é bom para ninguém é ruim para a seleção brasileira, para a Clarissa, para Americana e para ele. Péssimo para o basquete feminino em geral. Todo mundo perde.

Anônimo disse...

Nada mais coerente, né? Ô pessoal, me poupe! Quem paga o salário dela é o clube. Clube que liderou o boicote contra a CBB. Agora que a Clarissa vá buscar emprego em outra freguesia!

Anônimo disse...

Tenho certeza que Clarissa vai encontrar um bom lugar para jogar. Ela fez o que era certo a não aceitar o assédio moral do dirigente. E Americana está com os dias contados. O Molina é uma pessoa destrutiva e vai destruir até mesmo o clube que ele ajudou a construir. Questão de tempo.

Anônimo disse...

Nossa que bagunça que virou isso tudo, sou torcedor e morador de Americana, e confesso que acho que o Molina está exagerando com tudo isso, reivindicar melhorias da parte da CBB ok! mas começou com palhaçada já, era só esperar o contrato dela acabar em maio e não renovar, está pedindo para perder o campeonato, tudo tem limite, e essa atitude dele não vai trazer as melhorias que o colegiado esta pedindo e com certeza só trouxe malefícios para o time. Como torcedor fico triste com a saída da melhor jogadora do time, todos sabem que Clarissa leva o time nas costas. Boa sorte Clarissa!
Obs: Fique claro que não estou defendendo a atleta de ter furado o boicote, acho que ela faz o que quiser nesse sentido, uma vez que o clube não pode obrigá-la a assinar dispensa da seleção, minha opinião diz respeito a essa birrinha de patrão que o Molina teve, foi infantil e infeliz. Pior para o time.

Anônimo disse...

Acredito que ela sabia do risco estava correndo com sua atitude, sabendo que o gestor do clube que a contratou estava liderando um movimento contra a CBB.

Fico pensando quando uma classe trabalhista reivindica por melhorias, como os bancários ou motoristas ou seja qual for ramo de atividade, como as jogadoras poderiam fazer uma greve? Mas quem atingir com a greve? Quando vai levando em banho-maria fica uma sensação que sabe que tá tudo errado, mas se acaba dando um jeito e vai levando aos tropeços, assim está o basquete aqui no Brasil.

Anônimo disse...

FORA AMERICANA !

Ainnem Agon disse...

Parabéns a todos!

JMP disse...

Não acredito no que leio por aqui.
Há anos o pessoal reclama da CBB enterrando o basquete feminino, campeonatos sem times, investimento todo no masculino.
Quando há um movimento para tentar mudar as coisas, tem gente que não apoia.
Clarissa não precisa da LBF, tem a WNBA mas e as outras? Quando os clubes fecharem as portas (como Ourinhos e cia) quero ver ela se solidarizar e romper o contrato lá e ficar desempregada.
Deixem de ser ingênuos, depois da Olimpíada a CBB não vai mover um grão pelo basquete feminino e essa será a última olimpíada que o feminino vai participar.
Não venham chorar depois, que ninguém tentou nada.

Anônimo disse...

Sinceramente, eu não sei mais o que pensar.
Erika foi contratada pelo América, clube que também participou do boicote a seleção. E agora, Clarissa foi dispensada de Americana.

Anônimo disse...

Clarissa teve o que mereceu.Traiu todas as outras jogadoras e o clube que paga é muito bem.Agora vai chorar na cama que é lugar quente.
Foi egoísta e prepotente,seguiu o câncer do basquete feminino Snr Fabio Jardine.Agora vai jogar na Europa e não me venha com citações bíblicas para tentar ganhar a opinião pública.Segundo a Bíblia JUDAS também foi um traidor e você sabe o que aconteceu com ele,eu não preciso dizer.

Anônimo disse...

Moro em Americana e sempre acompanhei o time local. Apoiei o Molina nesse movimento contra a corrupção e o desprezo da CBB. Fui contra a atitude da jogadora de furar o bloqueio e se apresentar a seleção brasileira. Agora não posso concordar com a atitude autoritária de demitir a principal jogadora do time no momento em que o América está contratando a Érika. Título já Elvis!

Anônimo disse...

certíssima atitude do clube.......virou as costas para quem paga seu polpudo salário e companheiras......queria o que.....no momento em que o basquete mais precisou dela ficou quieta como se tudo fosse uma maraviilha.....MOLINA VC É DEMAIS.....

Anônimo disse...

AS ATLETAS NÃO FORAM LIBERADAS PELOS CLUBES, E NÃO PEDIRAM DISPENSA CONFORME FOI DITO.
QUANTO A DEMISSÃO, TUDO DEVE SER FEITO CONFORME O CONTRATO DA ATLETA, SE ELA FOI PORQUE QUIS, ARQUE COM AS CONSEQUÊNCIAS.
INTERESSANTE É QUE ELA FOI A ÚNICA QUE SE APRESENTOU MESMO TENDO O MESMO AGENTE DAS OUTRAS...
JÁ QUE A ÉRIKA FICOU TALVEZ ELA CONSIGA UM CONTRATO COM O SALAMANCA QUEM SABE....

Anônimo disse...

Essa guerra de egos está sepultando o basquete feminino!

Anônimo disse...

Triste a situação do basquete feminino! Quando agora poderia se conseguir reestruturá-lo, com a ajuda dos dirigentes do clube algumas agem pensando só em si. Imaginem quando uma categoria resolve fazer greve, visando melhores condições profissionais e, alguém fura a greve sem se preocupar se estará prejudicando toda uma categoria. É como um elo mal fechado, rompendo a corrente que fortalecia todo o processo. Quando estamos em equipe, devemos não somente pensar naquilo que queremos, mas no que, realmente, todos precisam. Perdeu-se, assim, a oportunidade das atletas do basquete feminino, conquistar o que todo atleta precisa: dignidade e respeito!

Anônimo disse...

Perde a atleta. Perde o clube. Perde o campeonato.

Não faltará lugar para o talento de Clarissa.


A atitude autoritária de Molina fecha com a postura infantil e arrogante que teve durante todo o episõdio. Foi ele quem colocou que a atleta teria passado por cima dele, outras não passaram, com medo das promessas. Se ele aceita Clarissa é questionado pelo grupo, que abriu mão da convocação e algumas da seleçao.


E há gente que ainda o defenda. Lamentável. Molina não é o herói que vcs querem.

Anônimo disse...

Alguém realmente acredita que o Molina quer o bem do basquete feminino? Acordem pessoal. Ele apenas usou esse momento conturbado para se auto promover e atingir seu objetivo de ter poder sobre a seleção brasileira. Para ele, ter a Adriana como diretora da seleção feminina e um técnico que conhece o feminino (Barbosa) é pouco. O que ele queria mesmo era mandar da seleção. Como não conseguiu está fazendo todo esse estrago, atrapalhando o sonho olímpico das sete atletas que brigam por uma vaga na seleção e fazendo com que uma das principais forças da seleção (Clarissa) fique sem clube em ano olímpico. Isso é bom para quem pessoal?

Anônimo disse...

Na Folha de São Paulo:

"Como a decisão foi deles [clube], não queremos falar muita coisa. Temos uma visão diferente. A Clarissa não abandonou nada. Ela foi servir o país. Agora é com a Justiça, ela que vai dizer quem está certo. Ficamos tristes pela atleta", disse o empresário da atleta Fabio Jardine. "O clube em nenhum momento oficializou uma negativa formal à convocação, ela respeitou a sua vontade e se apresentou. Vamos buscar a reparação na Justiça do Trabalho para pleitear os direitos", afirmou o advogado da atleta, Filipe Souza. A pivô de 27 anos fica agora desempregada, mas, segundo o UOL apurou, ela tem propostas para defender uma equipe da Europa ainda nesta temporada.

Resumo da ópera: Clarissa vai jogar na Europa, evoluir ainda mais seu basquete jogando um campeonato de nível mais alto, vai ganhar em euro, Molina e Americana vão ficar sem sua melhor atleta e provavelmente vão assistir a final da LBF pelo Tv (ou pelo rádio) e ainda vão ser processados e terão que pagar uma grana alta por quebra de contrato.

Quem faz o mal, colhe o mal. Não adianta discursar que está querendo o bem da seleção, porque as atitudes falam por si.

Anônimo disse...

Clarissa deu um tiro no pé, infelizmente foi traidora, pois só pensou em si próprio, não pensou nas companheiras tanto de equipe quanto de outras equipes, que com o boicote acreditam que possam mudar o basquete feminino para melhor, pensando no futuro da modalidade, e teve a consequência que mereceu, afinal alguém tem que ter palavra e pulso firme, mesmo que vá prejudicar a si mesmo, que foi o caso do MOLINA, deu para notar que com ele não tem palhaçada e o que foi dito foi cumprido. Com isso tem meu respeito e apoio total! Assim como disse o JMP e o anônimo 19/01/16 19:41, no qual eu concordo plenamente, Clarissa tem WNDA e tem um salário absurdo tanto La como aqui no Brasil, afinal o salário dela não era pequeno e tenho certeza que com o salário dela daria para pagar varias jogadoras, por tanto sem duvida ela é realmente a jogadora mais importante e bem paga do pais e JOGAVA em Americana, sendo assim deixo uma pergunta, quem paga o salário dela ? CBB? O dirigente FABIO? não NE e sim esse cara ai que todo mundo esta crucificado, RICARDO MOLINA, ele não é a melhor pessoa do mundo, mas é o único que realmente esta dando a cara a tapa se empenhando em mudar e tentando melhorar as condições do basquete feminino no BRASIL, o boicote a CBB é contra a ROBALHEIRA que a CBB faz e toda a corrupção, dinheiro gasto em coisas que não tem nada a ver com o basquete em fim Muita sujeira, falta de planejamento e investimento na modalidade, e CLARISSA teve o que mereceu, porque afinal o basquete esta nessa situação, sem times para disputar uma LBF que tem 6 times hoje, vergonha NE, um campeonato paulista com 4 times, mais vergonha, no rio de janeiro nem time tem mais, mangueira que uma vez tentou participar mas no ano seguinte não aguentou mais por falta de verbas e apoio, Brasília na mesma situação, olha o nordeste do tamanho que é ainda tem 3 times, mas mesmo assim não tem um campeonato para participar tirando a LBF. Por tanto a CBB é uma vergonha, e Clarissa pensou por esse lado quando boicotou o colegiado? Depois não pode reclamar que a CBB não paga o que deve, não pode reclamar que a LBF esta fraca quase não tem time para disputar, os times que lutam para sobreviver realmente tiram leite de pedra, pois não tem nem ônibus para viajar para disputar, EX: Santo Andre viaja com um ônibus escolar caindo aos pedaços, vergonhoso NE! RIDICULO! Com a verba roubada pela CBB daria para ter mais condições "ajuda" para os times que já existem e porque não ter mais times para disputar os campeonatos! Em fim, se for ficar aqui citando tudo que daria para ter com a roubalheira da CBB vou ficar aqui ate amanha.
E quando alguém toma a iniciativa e toma a frente para BRIGAR a favor do BASQUETE FEMININO, E TAMBÉM PELAS AS ATLETAS, AFINAL SEM BASQUETE AS ATLETAS NÃO TEM EMPREGO, no BRASIL o povo quer meter o pau, então não da para entender o que o povo BRASILEIRO realmente quer, porque todo mundo reclama que a CBB não ajuda e só rouba, mas depois também numa situação dessa todo mundo reclama que o clube esta errado em mandar uma atleta embora e que esta sendo radical de mais nas atitudes, então realmente não da para entender! POVO BRASILEIRO DECIDA-SE O QUE VOCES QUEREM. Querem pensar no basquete para o futuro, um basquete bom e justo, ou querem deixar como esta, onde a CBB faz o que quer, rouba como quer, gasta a grana como querem e nada acontece? Eu quero ver essa modalidade forte de novo e com uma seleção de ponta com apoio e investimento para as atletas, quero ver mais clubes disputando os campeonatos estaduais e a LBF, que a liga tenha times suficiente para ter um campeonato que dure o ano todo porque não! Por tanto RICARDO MOLINA te apoio. Acorda Brasil...

Anônimo disse...

Clarissa era paga para jogar basquete em Americana e não para ser usada como fantoche para o dirigente do clube se tornar o dono da seleção brasileira. Acordem.

Anônimo disse...

Boa sorte a Clarissa. Devemos tratar com respeito a melhor jogadora do Brasil.

Anônimo disse...

Se a Clarissa for mesmo para a Europa vai ser ótimo para ela, as melhores atletas do mundo estão na Europa.

Schineider Oliveira disse...

BOA SORTE CLARISSA...AMO BASQUETE FEMININO E NAO APOIO O BOICOTE E, SIM A MELHORIA DO BASQUETE, COMO UM TODO, COM GESTORES MAIS PROFISSIONAIS!

Erico disse...

Ué ela não tinha feito uma escolha/
ENTÃO PRONTO....QUE ESSA TRAIDORA FIQUE BEM LONGE DO NOSSO BASQUETE.
ESTRELINHA.

Anônimo disse...

Sabe o que seria muito engraçado? Algum dos clubes que formam o boicote a Seleção Brasileira abrir as portas para a Clarissa treinar, caso ela não vá para a europa.
Clarissa, sou de Americana e lhe apoio totalmente. Tive a oportunidade de te conhecer e sei que vc é uma pessoa correta e de ótima índole. Você é uma atleta espetacular e uma pessoa maravilhosa. Torço muito por você, sempre.
Quanto a atitude do Molina, foi a verdadeira atitude de um tirano, o que não condis com sua atual posição como maçon. Se a maçonaria de Americana ainda for séria, não vai deixar uma atitude dessa passar em branco, atitude que vai contra o livre pensar, o livre agir e a fraternidade, premissas básicas da maçonaria.

Anônimo disse...

Essa moça escolheu romper com o movimento em prol do basquete feminino e se aliar a CBB. Abandonou o clube, as companheiras de time com o clichè de patriotismo, amor à seleção brasileira. O basquete feminino só sobrevive ainda graças aos abnegados clubes que prestigiam a modalidade. A seleção não existe sem os clubes! Essa atleta agiu pensando em si própria e não na modalidade, e depois vem fazer situações bíblicas como se fosse uma mártir. Me poupe! Ricardo Molina está certíssimo. A demissão da atleta mostrou firmesa e comprometimento com o basquete femino. Não interessa se hoje ela é a melhor jogadora do país. Ninguém ganha jogo sozinho! Parabéns Ricardo Molina pela atitude. Ela certamente vai arrumar outro clube e já sabia disso, então que vá mostrar seu "comprometimento" em outro lugar.

Anônimo disse...

Realmente, a Clarissa é uma boa pessoa, dedicada ao basquete. Acho que ela não percebeu qual a situação do basquete brasileiro. Ela, como a Erika e também a Iziane tem tido oportunidades fora do país, diferente das outras atletas que não tem outra opção. Assim, não percebeu ou não quis abrir mão de seu sonho de olimpíada, mas com isso, ao quebrar o boicote, que visava a conquista de um futuro promissor, acabou prejudicando um grupo de meninas que sonhavam e sonham com uma vida melhor dentro do esporte que escolheram. Faltou orientação e mais diálogo, para que não tomasse essa posição tão individualista!

Anônimo disse...

Ai quanta baboseira, ou as pessoas se fazem de cegas ou são desprovidas de senso mesmo. NENHUMA ATLETA PEDIU DISPENSA DA SELEÇÃO PORQUE QUIS. ELAS FORAM CHANTAGEADAS, COAGIDAS E AMEAÇADAS PELOS CLUBES A PEDIR DISPENSA. Clarissa não aceitou a chantagem e por isso foi demitida. Alguém que ameaça as atletas e as obriga a pedir dispensa da seleção brasileira está querendo o bem do basquete feminino? Heloooooo meu povo.

Anônimo disse...

Isso tudo que esta acontecendo é uma VERGONHA!!!!!
O basquete feminino do Brasil Acabou, essa é a Triste realidade

Anônimo disse...

Ninguém foi coagida a nada.Elas fizeram a escolha correta.São pagas para jogarem nos clubes.O evento teste foi uma piada de mau gosto da CBB,não era um evento oficial e as jogadoras tinham que continuar os treinamentos em seus clubes que estão disputando a LBF que é muito mais difícil do que jogar com a Argentina e Venezuela.

Anônimo disse...

É verdade, ficar treinando pelo clube num período de duas semanas sem jogos na LBF é muito mais importante do que treinar e jogar pela seleção brasileira cinco partidas amistosas em ano olímpico. Acho impressionante a lógica dos americanenses. Ficou muito claro que as atletas foram coagidas e não agiram de acordo com a vontade delas. Se Gil e Joice ficarem de fora das Olimpíadas quero ver quem vai chorar, além delas.