quarta-feira, 11 de junho de 2014

Ourinhos Basquete paralisa suas atividades por tempo indeterminado (Diário de Ourinhos)

A reapresentação das jogadoras do Ourinhos Basquete, que estava prevista para acontecer na última segunda-feira, dia 02, não aconteceu. Isso porque as atividades do time profissional e dos times de base vão ficar paralisados por tempo indeterminado. Foi o que anunciou o presidente da equipe, Dr. Antônio Alves Passos, na manhã da última quinta-feira, dia 05, com exclusividade para a reportagem do jornal Diário. No entanto, as escolinhas que trabalham com crianças e adolescentes, com até 15 anos, vão continuar normalmente.

“Eu acho que Ourinhos não vai disputar os campeonatos este ano. Pelo o que nós estamos vendo, é por falta de patrocinador, o projeto (de lei de incentivo) não saiu”, anunciou Dr. Passos.

O principal motivo para a paralisação das atividades é a falta de patrocínio. Além de não haver a renovação com uma antiga parceira, a diretoria também não conseguiu fechar patrocínio com outras empresas. “A gente não tem conseguido aumentar a quantidade de patrocinadores. A Castor (empresa de colchões e móveis estofados), que sempre fechou patrocínio conosco, pediu para sair”, informou o presidente.

Com a falta de dinheiro e o contrato de todas as jogadoras se encerrando ao final da LBF (Liga de Basquete Feminino), o time ficou sem jogadoras para a disputa de qualquer campeonato. A escassez de jogadoras de qualidade no mercado também foi um dos motivos que impossibilitou a montagem de uma equipe. “Não tem atletas no mercado, não temos base, não temos jogadoras. Não tem sentido montar time para não ter competitividade, fica difícil. Nós vamos, praticamente, esse ano se afastar das competições. Isso não quer dizer que futuramente o time não possa voltar”, disse o dirigente.

Para o presidente do Ourinhos Basquete, hoje há muita dificuldades em conseguir patrocinadores para o basquete feminino, mesmo com a colaboração da administração municipal. “É um trabalho que tem que correr muito atrás para tentar arrumar um patrocínio talvez mais forte de nível nacional que só um seja o suficiente. A gente não conseguiu, a gente tem corrido atrás, então está difícil, a gente sentiu que o que nós temos não é o suficiente para montar uma equipe de nível competitivo”, afirmou.

Até o momento, o resultado da decisão referente ao projeto de Lei Paulista de Incentivo ao Esporte não foi divulgada, o que também impossibilidade firmar compromissos financeiros, como a contratação de atletas. “Não saiu (o resultado) ainda e quando demora é porque não deve ser aprovado. Nós não podemos contratar jogadoras se não tiver aprovado”, disse Dr. Passos.

Dr. Passos avalia ainda, que, para montar um elenco competitivo, uma equipe deve gasta em torno de R$ 40 mil por mês, apenas com salários e prêmios de jogadoras. “Para montar um time profissional aqui, você tem que ter pelo menos R$ 40 mil, depois tem em torno de R$ 20 mil gasto com a Federação, taxas, viagens, alimentação e outros gastos. Porque não é só o gasto com o time, tem a parte administrativa, sem esse valor acho que ninguém consegue formar um time”, explica o presidente. Neste caso, a ajuda financeira da Prefeitura Municipal cobriria esses gastos administrativos.

Uma possibilidade seria fazer uma parceria com o Sport Club Recife, onde seriam cedidas jogadoras para a disputa do Campeonato Paulista, através do técnico da equipe pernambucana, Roberto Dornellas. “Seria uma parceria com o Sport, mas para os Jogos (Regionais) fica muito difícil, porque começa agora. Existe a possibilidade para o Paulista de a gente começar a conversar, mas aí tem mais tempo para a gente ver se existe a possibilidade de fazer essa parceria para o Paulista. O Dornellas está nos Estados Unidos, eu acredito que só vamos poder conversar depois que ele voltar”, relatou Dr. Passos.

Mesmo com o fato de não disputar os campeonatos organizados pela Federação Paulista e Confederação Brasileira de Basquete, Ourinhos não será excluído dos torneios, tão pouco caia de divisão, caso, futuramente retorne às suas atividades. “Você pede um afastamento temporário, diversas equipes já fizeram isso. A gente fica isenta da mensalidade nesse período e quando voltar (as atividades), nós voltamos a pagar”, explica o presidente.

Com todas essas dificuldades, a diretoria do basquete feminino de Ourinhos optou por se ausentar do esporte profissional, no entanto, deixando aberto para a possibilidade de alguém assumir a equipe, se houve interesse. “Nós achamos melhor se retrair, se aparecer patrocinador para não deixar acabar (o basquete profissional), nós estamos às ordens para conversar, ao mesmo tempo se alguém quiser assumir o basquete, pode assumir que não vai ter problema nenhum em passar para algumas pessoas que queiram comandar o basquete feminino”, disse o presidente.

A situação da, até então, técnica Lisdeivi Pompa será discutida futuramente. “Eu tenho que conversar com o secretário para ver se ela pode ser aproveitada na escolinha ou outra atividade para a gente manter ela, porque ela merece ficar”, afirma Dr. Passos.

“Eu fico com muita tristeza, porque eu comecei isso em 99. Praticamente eu e o Ronaldo (Mori) começamos o basquete aqui. Ourinhos tem um nome no basquete feminino e no cenário nacional, conquistou vários títulos. A gente fica triste, mas isso faz parte da vida, da cidade, de ter patrocínio, de não ter e precisar se ausentar”, finaliza o presidente do Ourinhos Basquete.

História

Ourinhos destacou-se nacionalmente no basquete feminino a partir de 1995, com o apoio da Prefeitura Municipal. Posteriormente o time recebeu incentivo e patrocínio de empresas privadas locais e de outros colaboradores.

De 1995 até agosto de 2009, o time sagrou-se pentacampeão nacional (2004, 2005, 2006, 2007 e 2008), octacampeão paulista (2000, 2002, 2004, 2005, 2006, 2007 e 2009) e campeão sul-americano de clubes (2008) na modalidade, título obtido em Quito, no Equador.

Além destes títulos, a equipe ourinhense foi campeã dos Jogos Regionais do Interior por 18 anos consecutivos, além de ser o atual campeão, ainda possui três títulos de Jogos Abertos do Interior. Na primeira edição da LBF, em 2010, Ourinhos Basquete foi vice-campeão.

As principais jogadoras da história do Ourinhos Basquete são: Cíntia Luz, Cíntia Tuiú, Ega, Érika, Iziane, Janeth, Kelly Santos, Lígia, Lilian, Micaela, Ruth, Silvinha Luz, Vânia Teixeira, Vanira Hernandes, Mamá, Chuca, Yakelin Plutin, Lisdeivi, Claudinha, Ariadna, Jack Nero, entre outras.

Assim o município ficou conhecido como “A Capital Nacional do Basquete Feminino”.

Fonte: Diário de Ourinhos

8 comentários:

Anônimo disse...

Nossa, quanta justificativa, tudo bem que não é fácil mesmo manter um time, mas se não tiver vontade e capacidade para manter uma equipe em atividade, sai e dá lugar para outro. Pela quantidade de desculpas desanimadas desse senhor, acho que ele não tem mesmo é vontade de estar à frente do basquete de Ourinhos

Anônimo disse...

Já era de se imaginar, pois Ourinhos mandou até as meninas da base embora (Kananda para Barretos, Susan para Jundiaí, Lais e Letícia para São José). Seria um ótimo time sub-19 inclusive.

Agora dizer que não tem atletas no mercado é até engraçado. O que não tem é dinheiro em Ourinhos para pagar os salários das atletas.

Anônimo disse...

O grande culpado do que esta acontecendo em Ourinhos
chama-se Dr. Passos.Tenho conhecimento que vários
patrocinadores voltaram se ele pedisse demissão.
Vamos largar o osso e deixar outras pessoas que
estão querendo assumir.

Junior Soffner disse...

Créditos da matéria - Junior Soffner (Diário de Ourinhos)

Anônimo disse...

gente que pena...

Anônimo disse...

Simplesmente triste, quantas atletas sem equipes, e outros profissionais, agora o anonimo ai de cima falar, sai e da lugar pra outro é brincadeira, que outro ?
Ao invés de apenas criticar, procure dar soluções também, essa é a triste realidade do esporte amador e viva o futebol é tudo pra eles.
Kd o COB ? CBB ? FPB ?
lamentável.

Anônimo disse...

esta é a situação do nosso basquete feminino, ano após ano saí mais um time de tradição dentro do basquete, Catanduva, são caetano, agora ourinhos, onde vamos parar assim?

Anônimo disse...


ANONIMO
DR.PASSOS!!!!Rs eu já sabia,vc teve time,enquanto o Sr.Chico estava vivo e pondo dinheiro pra vc aparecer!!!E, agora,foi só assumir a presidencia, deixou jogadoras sem salarios, técnico foi embora porque nào recebia, e vem o senhor com esta entrevista ridicula de mal perdedor!!rrsr incompetente!!!