sábado, 28 de junho de 2014

Amistoso: Canadá 79 x 72 Brasil

No segundo amistoso, a seleção canadense voltou a vencer a seleção brasileira por 79 a 72.

A ala Patty foi a cestinha da partida com 17 pontos, seguida por Clarissa com 14 pontos e Tainá com 12 pontos.

Pela seleção canadense, Kim Gaucher e Miranda Ayim fizeram 13 pontos cada.

21 comentários:

Anônimo disse...

Olha, conseguimos diminuir a vantagem negativa que chegou a 14 pontos e perdemos SÓ de sete pontos dessa grande potência mundial chamada Canadá. Parabéns! Pelo Brasil se salvaram Clarissa, Patrícia e Tainá as únicas que jogam alguma coisa nesse time, como todos já sabiam. Se trocarmos as outras nove atletas que estão passeando no Canadá, quem sabe não conseguimos vencer a próxima!

Anônimo disse...

Muitos criticam o Zanon, mais este resultado a médio prazo será muito bom para o Brasil que terá um time competitivo, perder para o Canada com esta diferença de pontuação, é vitória! Analisando o jogo dentro do box score http://www.fibalivestats.com/matches/45140/12/10/19/27lCJioYNJqY/
nós vemos varias meninas novas se destacando, Patrícia, Clarissa, Tainá, Débora, Jaqueline e o mais importante o Zanon deu tempo de quadra para todas. Somando aí para o mundial a Damiris, Adrianinha, Nadia, Erika, nós devemos chegar entre os três primeiros.

Anônimo disse...

kkkkkk...genthy tenho q rir, afinal eh melhor chorar

Sérgio/RJ disse...

Só pode estar de brincadeira chamar o Canadá de grande potência mundial.... temos que reconhecer que o Brasil se recuperou do desastre jogo anterior e fez um jogo mais equilibrado dessa vez.Parabéns.

Anônimo disse...

Sinceramente, desse grupo acho que salva só a Clarissa e Tainá, a paty é meia inconsistente.

Anônimo disse...

Acho Tatiane tem que vuar, dessas pivôs só deixar Clarissa. Débora parece que não jogou mal, bom seria convoca-la para outro amistoso.

Anônimo disse...

Isso não é culpa das atletas! Se apresentaram treinaram 3 dias e foram p Canada! Falta planejamento!

Anônimo disse...

OBSERVADOR

O basquete feminino,nada mais é do mais uma prova de incompetência desta gestão,falida tecnicamente e financeiramente.Esta seleção feminina,desde que acompanho basquete feminino,foi a pior formada,quando digo pior,não só no aspecto técnico,mas as incoerências de um técnico,que começo a duvidar de sua competência! Seleção como o nome diz são as melhores, em seus times e depois em virtude disto são convocadas,e que estamos vendo-jogadoras que foram dispensadas por ele em Americana,outras sem tempo de quadra nos seus times e outras que até agora não mostraram nada em time algum que jogou.Conclui-se,que com raríssimas exceções-Jaqueline-Taina-Patricia-Clarissa-Karina,que pelo menos foram destaques em seus clubes,agora nível de seleção já é outro problema.Reclamamavam do Grego e sua turma, agora tome-Hortencia,que saiu depois de tanta m...,e agora Zanon,Wanderlei(será que assistiu algum jogo feminino?)Carlos Nunes!!!!KKKKKK

Ana Clara disse...

Gente, parem de reclamar. E um processo de renovação necessário. Daqui a pouco Adrianinha será inserida ao grupo nos treinamentos e as jogadoras da WNBA mais a frente. A unica coisa que não concordo é a ausência da Iziane. Ela ainda se faz necessária neste grupo jovem.

Anônimo disse...

Trocar Kelly (33 anos) por Karina Jacob (29 anos) e Iziane (31 anos) por Jaqueline (28 anos) não é renovação, já que todas estão na mesma faixa etária. É trocar atletas talentosas, no auge da carreira, por atletas medíocres, que nunca fizeram nada de especial na carreira. Em outras palavras: É burrice mesmo!

Anônimo disse...

Anonimo das 09:59 quis forçar dizendo que dá pro Brasil chegar em terceiro no mundial... Só se for terceiro do grupo. Eu amo o basquete feminino e acompanho desde 91 no panamericano de cuba, e essa seleção da atualidade com esse técnico é uma das piores que nós ja tivemos, não existe critério de escolha, só porque a jogadora é nova, ja pode ser colocada. Isso não é renovação. Não existe técnica, não existe jogadas, não existe fundamento, não existe direção, não existe talento, simples assim.

Anônimo disse...

A 1 ano e meio no cargo e o Zanon ainda está testando atletas na seleção. Basta assistir uma dúzia de jogos da LBF para saber quem tem condições de ser atleta de seleção e quem não tem. A função do treinador é identificar as melhores atletas disponíveis para formar a melhor seleção possível. Qual a dificuldade de perceber o óbvio? Ele já deveria ter identificado as melhores atletas para a seleção a muito tempo. Não saímos do estágio 1 ainda e o tempo está passando e ninguém evoluiu, nenhuma base confiável foi formada. Complicadíssimo o trabalho que o Zanon está fazendo.

Anônimo disse...

Não adianta ficarem criticando.O que temos agora são
essas jogadoras.Vamos ter que pagar o preço de um
trabalho medíocre na base.Fazer o que?

Anônimo disse...

Concordo plenamente que temos de bom nível de são essas jogadoras novas de até 26 anos no máximo,Patrícia, Clarissa, Tainá, Débora, Joyce e mais Damiris, Adrianinha, Nadia, Erika as demais não chegarão jogando bem nas olimpíadas, e o Zanon até que esta fazendo bem, não adianta falarem da Kelly, Karla, Ega, Chuca e até da Iziane que nunca fez nada pela seleção, estas e outras veteranas que até vão bem nos clubes, na seleção nos últimos 10 anos não fizeram nada.

Anônimo disse...


ANONIMO

O VC AI DAS 00:53,VA SE INFORMAR MELHOR SOBRE AS ATUAÇÕES DA EGA-KELLY-IZIANE NA ERA BARBOSA!!!

Anônimo disse...

Se não é fácil ganhar de seleções internacionais com atletas que tem um bom desempenho nos clubes, imagine então como será agora que os gênios do basquete acham que a solução é colocar na seleção atletas que não jogam bem nem nos clubes brasileiros. Cada uma.

Para quem não entendeu a ironia, a grande potencia Canadá quando está com o time completo briga para ficar entre 8.º e 12.º lugar, se essa "seleção brasileira" está apanhando feio do time incompleto do Canadá, isso quer dizer que em breve nós estaremos perdendo para Japão, Mali, Colômbia, Chile.

Até porque de Cuba, Porto Rico e Argentina nós já perdemos na última temporada, então é isso, ladeira abaixo!

Ninguém no mundo renova assim, joga-se com as melhores atletas disponíveis no país e vai renovando aos poucos quando surgem atletas jovens com algum diferencial.

Essas aí desse grupo atual não fizeram nada, nem nas seleções de base, nem nos clubes delas.

Esperar que elas façam, alguma coisa jogando pela seleção principal contra as principais atletas do mundo é acreditar em milagre!

Anônimo disse...

Concordaria com quem disse que a culpa é do trabalho de base ruim, até porque geração após geração, as atletas estão chegando no adulto com fundamentos cada vez piores, coisas que não se consertam nunca mais, mas a questão não é essa, porque nós temos atletas melhores do que essas. Nós temos Joice Rodrigues (27 anos) que obviamente não é uma Magic Paula, mas é uma armadora muuuuuuito melhor do que Tainá e Débora jamais serão e poderia estar sendo lapidada para 2016 e até 2022, porque não está? Porque o Zanon "não gosta dela"? Nós temos Palmira (29 anos) que é infinitamente melhor que Patty, pois tem fundamentos bem apurados e algum talento. Qual o problema com ela? A implicância que os blogueiros? Esse agora vai ser também o critério agora do Zanon? Iziane (31) também poderia estar sendo ajustada para jogar 2016, Gil (31) anos também é infinitamente melhor do que Karina Jacob, Fabi, Franciele, Nádia e terá idade para jogar 2016, então qual o problema? O problema é a falta de bom senso de quem comanda e de quem comenta o basquete feminino no Brasil. Querem inventar que atletas sem qualquer talento, atletas que nem fundamento tem, são agora atleta de seleção brasileira. Me poupe!

Anônimo disse...

anônimo, defina "não fazer nada na seleção"? Ganhar de Rússia, Austrália, França realmente não é fácil, mas "Kelly, Karla, Ega, Chuca e até da Iziane" sempre jogaram partidas equilibradas contra as principais potencias do mundo e sempre renderam bem em quadra.

Desculpe querido, mas a solução não é trocar essas atletas que você citou por atletas que não conseguem render nada jogando contra o time reserva da fraquíssima seleção do Canadá. Isso que para mim é "não fazer nada na seleção".

Anônimo disse...

Tem que ter renovação sim, mas desde que a atleta tenha qualidade e conquiste sua vaga jogando bem. O que estão fazendo é convocar apenas por critério de idade. Isso não existe. Algumas atletas já deram o que tinham que dar realmente. Por exemplo, Ega (37), Karla (36) e Chuca (35) já não estão jogando tão bem como antes e estão com idade avançada, mas tem jogadoras um pouco mais novas que poderiam ainda estar sendo aproveitadas. Creio que devemos ter em mente a idade que as atletas terão em 2016! Jogadoras que hoje tem 32, 33 anos provavelmente estarão bem ainda em 2016.

Carolina disse...

Interessante a quantidade de pessoas estudiosas no basquete que se sentem que têm autoridade para apontar o dedo, não é mesmo??? Sugiro que se candidatam ao cargo de técnico!!!! Vocês só sabem reclamar e criticar. Não conseguem enxergam o processo de evolução, tampouco a ideia de renovação que está implementada na equipe. É uma vergonha ver um povo que não dá o mínimo apoio aos seus atletas e comissão técnica. É claro que a reflexão deve existir, mas de maneira construtiva. Ao invés de estimular o trabalho, a posição é totalmente oposta, destrutiva, sabe... Parece que os brasileiros merecem a situação que têm de suportar, oh povinho metido a besta!!!!

Anônimo disse...

"Kelly, Karla, Ega, Chuca e até da Iziane" com 40 anos jogam melhor que karina e Jaqueline FATO!!!

não podemos pensar só em 2016, se o nível cair ja era.