quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Alba Torrens é eleita melhor jogadora da Europa de 2013


A espanhola Alba Torrens foi eleita pelo jornal "Gazzetta Dello Sport" a melhor jogadora de basquete da Europa do ano de 2013.

Com apenas 24 anos, já é a segunda vez que a atleta é eleita a melhor europeia, em menos de três anos, já que em 2011 ela também recebeu esse mesmo prêmio.

Alba Torrens liderou, ao lado de Sancho Lyttle,  a seleção da Espanha na conquista do título europeu no ano passado, quebrando um jejum que já durava 20 anos. 

Ela teve 57 votos, seguida por Sandrine Gruda com 39 votos e Celine Dumerc com 25 votos.

9 comentários:

Paty Monteiro disse...


Sem dúvida os 3 maiores nomes do basquete feminino europeu atualmente (cada uma em sua posição).

E a Torrens é uma ala "perfeita"! Alta (1,90), ágil, habilidosa, tem domínio da bola (ñ é só uma chutadora). Ao lado da Sancho, carregam a Espanha (q deveria naturalizar mais 1 ou 2 jogadoras pra virar potencia no masculino e feminino tb).

Espanha e França + EUA e Austrália devem ser os favoritos nesse mundial (semifinal). Os demais países, meros coadjuvantes, brigando para aprontar zebras, nada mais.

Anônimo disse...

O jejum foi de 20 anos e não de 10 anos. ótima jogadora, só que esquisita..

Paulo Roberto disse...

Já corrigi. Obrigado anônimo

Anônimo disse...

Com a derrocada dos países do leste europeu, hoje o basquete europeu é nivelado por baixo e tem como principais forças a Espanha e a França.
Isso somente demonstra a quantas anda o nível do basquetebol feminino a nível mundial.
Quem se recorda das seleções da Bulgária, URSS (Rússia, Ucrania, entre outras), Tchecoslováquia sabe bem do que estou falando.
A Espanha e a França não evoluíram, o problema é que o basquete feminino acabou no leste europeu.
O mesmo se pode dizer em relação ao Brasil. Acreditar que iremos longe com essa geração é perda de tempo.Quem sabe com as próximas.

Anônimo disse...

Com a derrocada dos países do leste europeu, hoje o basquete europeu é nivelado por baixo e tem como principais forças a Espanha e a França.
Isso somente demonstra a quantas anda o nível do basquetebol feminino a nível mundial.
Quem se recorda das seleções da Bulgária, URSS (Rússia, Ucrania, entre outras), Tchecoslováquia sabe bem do que estou falando.
A Espanha e a França não evoluíram, o problema é que o basquete feminino acabou no leste europeu.
O mesmo se pode dizer em relação ao Brasil. Acreditar que iremos longe com essa geração é perda de tempo.Quem sabe com as próximas.

GO GO!!! disse...

Espanha deveria naturalizar mais jogadoras para ser potencia??? no masculino??? me desculpe, mas a Espanha já é uma potencia, recentemente virou no feminino (Campeãs da Europa) e no masculino são dos poucos times que podem competir contra USA...

Anônimo disse...

Dizem que ela "é" e que em breve será submetida a um tratamento hormonal, pra virar um trans-homem... são noticias que correm na Espanha.

Anônimo disse...

O q a sexualidade da Alba tem haver com o talento dela no basquete? Joga muito!

Anônimo disse...

Vedrana Grgin jogava muito mais do que ela.....